quinta-feira, 30 de março de 2017

Cristo ou Barrabás? Oração ou Música de Sax?

Durante todo o tempo em que Daniel esteve na Babilônia, ele não foi proibido de orar, a despeito de ser minoria e escravo em uma nação idolatra e pagã... Por que? Porque quando teve oportunidade manifestou a glória do Seu Deus de maneira tremenda. Havia uma sentença de morte contra os magos e advinhos (escalão do qual ele fazia parte) e o mesmo chamou para si a responsabilidade declarando "o Deus a quem eu sirvo dará a revelação do sonho do Rei Nabucodonosor"...  Tal foi sua atuação, que creio que os magos que foram visitar o recém nascido Jesus Cristo era descendência desses que viram na vida de Daniel o poder do Deus vivo. Os próprios Nabucodonosor e Dario - reis históricos -  reconheceram a grandiosidade do Deus de Daniel. É bem verdade que sua postura lhe custou perseguição, mas o Deus a quem Daniel servia de contínuo o livrou. A  Secretária de Mulheres do Governo Michel Temer, Fátima Pelaes, faz reunião de oração e é criticada... George Israel, ex Kid Abelha toca "This Girl" em avião e é ovacionado... É claro que a sociedade, o mundo presente,  prefere o "pão e circo" à disciplina daquilo que é servir à Deus. Afinal, o mundo jaz no maligno, e esse mesmo maligno não tem interesse que as pessoas se reúnam para orar... a música do saxofone de Israel não incomodou nenhum dos famosos que estavam no avião da Gol - entres eles Isis Valverde, Josie Pessoa e Sérgio Malandro. Mas a oração de Fátima Pelaes repercurte, lebrando que o Estado é laico. O que falta ao Evangelho de hoje é respeito. E respeito somente se alcança quando deixamos de ser singulares para sermos plurais, ou seja, quando atingimos a coletividade. Mais uma vez, Jesus mostrou porque Ele é caminho, verdade e vida, pois ao declarar que deveríamos ser "sal da terra e luz do mundo", Ele nos deixou o mandamento de influenciarmos o mundo ao nosso redor com nossas ações. Foi assim que fez Daniel e por isso foi respeitado. Enquanto a Igreja manifestar um evangelho de quatro paredes, um evangelho para o próprio umbigo, continuará a ser tratada dessa maneira, desvalorizada. Nada contra a cultura e a boa música. Sou contra sim um evangelho que não traz transformação, que tem manifestações liturgicas e não testemunhais e que ainda fica se sentindo o coitadinho quando confrontado. Falta autoridade para não temer a cova dos leões. Falta autoridade para mostrar para o Rei quem é o verdadeiro Poderoso. Façamos a diferença. Sejamos a Igreja que seja respeitada pelo seu testemunho! (Para você entender melhor a postagem veja essas duas matérias http://ego.globo.com/famosos/noticia/2017/01/isis-valverde-e-famosos-se-divertem-em-voo-ao-som-de-george-israel.html e http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/287716/Secret%C3%A1ria-das-Mulheres-de-Temer-faz-culto-evang%C3%A9lico-em-gabinete.htm

segunda-feira, 13 de março de 2017

ABRA-SE AO NASCER DE UM NOVO TEMPO

 

O Início do Outono 2017 será na semana que vem, no dia 20 de março de 2017 e termina dia 20 de junho de 2017.

Se prestarmos mais atenção aos detalhes da natureza, perceberemos que cada estação do ano traz mensagens e convites específicos. No entanto, muitas vezes não conseguimos enxergar esses sinais porque insistimos em achar que não somos parte integrante do meio ambiente. Cada estação do ano nos convida a novas posturas e nos oferece uma série de aprendizados para a vida. O outono, é uma época especialmente recheada de significados que podem enriquecer nossas percepções. Esse período chega logo após o verão, aquela estação de tempo quente, aberto, de plena luz e em que nossos movimentos tendem para o mundo externo. Não é à toa que para chegar a uma estação intermediária precisamos das "águas de março", uma chuvinha persistente que vai resfriando o tempo aos poucos.

O outono é uma época de transição entre os extremos de temperatura verão-inverno. Qual é a principal imagem que lhe vem à mente quando pensa em outono? É bastante provável que a maioria das pessoas responda a essa pergunta lembrando da clássica imagem das árvores perdendo suas folhas. Mas você sabe por que acontece essa perda? Se as árvores não as deixassem ir, não sobreviveriam à próxima estação. As folhas se queimariam com o frio do inverno e, assim, os ciclos de respiração da árvore se findariam bruscamente, o que resultaria no fim da vida. A natureza nos mostra mais uma vez a beleza de sua sabedoria: é preciso entrega, é preciso deixar ir o que não serve mais, para proteger o que é mais importante."A natureza nos mostra mais uma vez a beleza de sua sabedoria: é preciso entrega, é preciso deixar ir o que não serve mais, para proteger o que é mais importante."

O que a princípio pode parecer uma perda é na verdade um ganho: ela ganha mais tempo de vida, e chega renovada às próximas estações.

Reflita a partir disso: o que você precisa deixar ir, do que você precisa abrir mão para seguir firme para os próximos ciclos, para continuar a crescer? O outono é também estação de amadurecimento dos frutos. É o tempo de deixar ir inclusive os resultados de nossos esforços, para que novas forças possam gestar outros futuros projetos.

Durante essa época é válido observar quais elementos em você precisam ser sacrificados para que o mais sagrado para sua vida seja preservado ou resgatado. Pense na palavra sacrifício a partir de sua etimologia: é um sagrado ofício, um trabalho, uma ação que possui um caráter sagrado, para além do superficial, que transcende o banal, que tem um significado maior.

 

outono-foto

No outono, é importante questionar se o medo e a dúvida estão impedindo seus ideais maiores de serem realizados. Reflita se alguns comportamentos repetitivos lhe afastam do seu real potencial criativo. Talvez seja chegado o momento de tomar consciência e assumir uma atitude de compromisso consigo, desapegando-se daquilo que não lhe serve mais, daquilo que esteja impedindo seus passos rumo às próximas estações de seu crescimento.

Não é simples, nem fácil, mas também não é impossível. Como tudo na natureza, nossos processos de mudança carecem de tempo para se instalarem. Tempo para ir amadurecendo, até que seja o momento da colheita. Passo a passo, reflita sobre os pesos desnecessários que podem estar atrasando seu caminhar, vá se desapegando e deixando ir.

Lembro agora as palavras de Tom Jobim: "São as águas de março fechando o verão, é promessa de vida no meu coração". Mesmo que as águas pareçam dar fim ao melhor da festa do verão, na verdade, elas estão nos mostrando que a vida segue e novas estações virão! Acredite: observando a natureza podemos concluir que depois da noite sempre vem o dia. Acredite que vale a pena se libertar para deixar nascer um novo tempo.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

O Rio de Janeiro Continua Lindo...

Queridos e queridas, tenhamos todos uma boa noite de descanso... Chego ao final desse dia com um sentimento de gratidão no coração. Gratidão porque posso declarar que mais uma vez, Deus cumpriu suas promessas em nossas vidas... O Senhor guardou a cidade, o Senhor sarou a nossa terra mais um dia... Deus mostrou que Ele conhece os que são Seus... Gratidão no coração porque aprendi muitas coisas hoje...

1)  Aprendi que as promessas de Deus são maiores que os boatos. Elas se concretizam quando exercitamos a nossa fé. Incrível, como é mais fácil se deixar atemorizar do que proclamarmos as promessas de Deus. Em II Cr 20, lemos que Josafá teve medo ao receber uma má noticia (que não era boato, era verdadeira), mas ele resolveu buscar ao Senhor. Nas últimas vinte e quatro horas ouvi a seguinte frase – mas é verdade!. Josafá sabia que era verdade, mas ele preferiu buscar ao Senhor;

2)  Aprendi que ainda que eu possa protestar, o meu foco de protesto tem que ser o correto. Certa vez vi um grupo de funcionários trabalhando com uma braçadeira preta atada no braço direito. Ao perguntar o que significava, me disseram que era um protesto contra as condições de trabalho. Outra vez no aeroporto, fui alvo de uma “operação padrão”. Perguntei o porquê – me informaram que era uma forma de protesto. Agora, entender que familiar vai impedir o parente policial de trabalhar, não consigo entender. Por que não vão acampar na porta da casa do Governador, ou na porta dos deputados que muitos deles elegeram? Tentar impedir a polícia de sair às ruas é algo tão mesquinho, que coloca a sociedade à mercê desse pânico generalizado que vivemos, que não justifica o protesto de ninguém...

3) Aprendi que uma vez que militar não pode fazer greve, quem tenta induzi-lo a isso é tão errado quanto. A porta dos batalhões jamais deveria ser então local de protesto, nem manifestação de qualquer natureza... Deixa o PM trabalhar... Quer protestat? Faça o de maneira legitima. Quem quer orar vai orar na Igreja, no seu quarto em secreto, não se juntando a quem faz um protesto infundado e egoísta...

4) Aprendi que uma sociedade que se vale da falta da polícia para saquear lojas é tão criminosa quanto aquele que empunha uma arma e rouba um carro... Se a polícia é que impede o cidadão de ser criminoso, vejo que falta caráter à sociedade.

  5) Aprendi que muitos “movimentos” agem como a garota da música “Maladramente”, do MC Nandinho. Por exemplo, a PM do Espírito Santo quando viu que o que eles fizeram era crime de revolta, com pena de expulsão da corporação e prisão de 08 a 20 anos, resolveram, rapidinho, acabar com a manifestação... Ou seja, na hora de tomar madeirada, todo mundo meteu o pé para casa...
   
    6) Aprendi que vocação é vocação, e como em toda vocação, vamos encontrar gente boa e gente ruim. Ser militar é ser vocacionado para um bem maior, a segurança de um povo. Não dá para misturar vocação com dinheiro. Quando isso acontece é melhor abandonar a vocação.

Quem vai responder por todos os mortos no Espírito Santo nesta semana? Pelos saques e depredação ao patrimônio público e privado naquele Estado? Quem vai responder pelo sentimento de pânico gerado e alimentado no coração de milhares e milhares de fluminenses? Hoje me recordei que no final de Novembro do ano passado, algo semelhante aconteceu na Cidade Maravilhosa. Com a percepção de um Estado quebrado, gerou-se um quadro de insegurança,  com a disseminação de boatos que os comandos do tráfico tomariam conta do Rio de Janeiro... igualzinho aconteceu de quinta para sexta feira, de ontem para hoje... o resultado, graças a Deus, mais boato do que verdade.

E por fim, aprendi que segurança começa em casa... ensinemos nossos filhos a verdadeira educação, ensinemos nossos filhos no caminho que devem andar. Vençamos a corrupçãp que tenazmente nos assedia, nas pequenas coisas... E teremos uma sociedade mais segura, com certeza...  Mais uma vez, obrigado, Senhor. E que Ele nos abençoe...

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Existe vida após o parto?

 

No ventre de uma mãe havia dois bebês. Um perguntou ao outro:
“Você acredita em vida após o parto?”

O outro respondeu: “É claro. Tem que haver algo após o parto. Talvez nós estamos aqui para nos preparar para o que virá mais tarde.”

“Bobagem”, disse o primeiro. “Não há vida após o parto. Que tipo de vida seria essa?”

O segundo disse, “Eu não sei, mas haverá mais luz do que aqui. Talvez vamos poder andar com as nossas pernas e comer com nossas bocas. Talvez teremos outros sentidos que não podemos entender agora.”

O primeiro respondeu: “Isso é um absurdo. Andar é impossível. E comer com a boca? Ridículo! O cordão umbilical nos fornece nutrição e tudo o que precisamos. Mas o cordão umbilical é muito curto. A vida após o parto logicamente está fora de questão.”

O segundo insistiu, “Bem, eu acho que há alguma coisa, e talvez seja diferente do que é aqui. Talvez a gente não vai precisar mais deste tubo físico.”

O primeiro respondeu: “Bobagem. E além disso, se há mesmo vida após o parto, então por que ninguém jamais voltou de lá? O parto é o fim da vida, e no pós-parto não há nada além de escuridão e silêncio e esquecimento. Ele não nos leva a lugar nenhum.”

“Bem, eu não sei”, disse o segundo, “mas certamente vamos encontrar a Mãe e ela vai cuidar de nós.”

O primeiro respondeu: “Mãe? Você realmente acredita em Mãe? Isso é ridículo. Se a Mãe existe, então onde ela está agora?”

O segundo disse: “Ela está ao nosso redor. Estamos cercados por ela. Nós somos dela. É nela que vivemos. Sem ela este mundo não seria e não poderia existir.”

Disse o primeiro: “Bem, eu não posso vê-la, então é lógico que ela não existe.”

Ao que o segundo respondeu: Às vezes, quando você está em silêncio, se você se concentrar e realmente ouvir, você pode perceber a presença dela, e pode ouvir sua voz amorosa, lá de cima.”