sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Nossa Mensagem de Natal...

Apocalipse 3.20 "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo."

O Natal sempre foi uma época de multidões. Multidões nos Shoppings, multidões viajando, gente correndo para lá e para cá, multidões em festas de confraternizações e por aí vai. Entretanto, quando penso em Jesus Cristo, o verdadeiro sentido do Natal, vejo que em muitos momentos da sua vida, ele foi um homem solitário, a procura de alguém que quisesse estar com ele, como no texto acima.

É verdade que em muitas ocasiões, Jesus também esteve cercado de multidões. Quando Ele transformou água em vinho, ali em Caná da Galileia, havia uma multidão. Quando Ele estava na casa de Pedro e precisaram baixar um paralitico pelo telhado, para que Jesus pudesse curá-lo, ali havia uma multidão. Quando Ele multiplicou pães e peixes, ali também havia uma multidão, mais de 5000 homens, sem contar as mulheres e crianças...

Mas quando Ele nasceu, não havia gente sequer para auxiliar a Maria no seu parto, além de seu esposo José. Por não conseguirem lugar em nenhuma hospedaria em Belém, o Salvador da Humanidade acabou nascendo numa manjedoura, dentro de um estábulo. Não havia multidões...

Quando Ele morreu, até as mulheres que acompanharam sempre o seu ministério, agora o acompanhavam de longe. Na sua grande necessidade não havia multidão que o auxiliasse ou pudesse fazer algo para amenizar o seu sofrer.

Parece que a multidão era atraída única e simplesmente pelo milagre, pela bênção do Senhor e jamais pelo Senhor da bênção.

Até mesmo os quadros e imagens que conhecemos nos mostram um Jesus solitário. Na cruz, sofrendo com coroa de espinho na cabeça, com um coração pegando fogo... No único quadro em que ele está acompanhado – o da Santa Ceia – entre os que o acompanhavam estava o traidor.

O Natal é tempo de alegria, de comunhão, de festa e presentes. Mas nós jamais podemos nos esquecer do verdadeiro sentido do Natal – a vinda de Jesus Cristo aqui à Terra, para aquele que estava perdido – eu e você.

Hoje, Jesus está à porta do nosso coração, aguardando que a abramos, pra que Ele possa entrar e cear, ter comunhão conosco. O que você vai fazer com Jesus nesse Natal? Deixá-lO mais uma vez, solitário, do lado de fora... Ou convidá-lo a entrar e celebrar não apenas um dia, mas o restante de toda a tua vida??

Lembre-se: porta do coração só tem maçaneta do lado de dentro. E Jesus não arromba a porta e nem força uma barra. Abra a porta, receba-O como teu Senhor e Salvador - essa é uma decisão única e individual, só você pode fazer por você mesmo.

E tenha não apenas o melhor Natal que você já viveu. Tenha a certeza da vida abundante aqui na Terra e a vida eterna no futuro!

Que Deus te abençoe! FELIZ NATAL!

Bispo Laerte e Pra. Suami Lafayett

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

A Imprensa no Brasil...

Se a história do Chapeuzinho Vermelho fosse verdadeira, como ela seria veiculada pela imprensa do Brasil? Veja as diferentes maneiras de se contar a mesma história...

 *JORNAL NACIONAL* -  (William Bonner): Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem…
 (Fátima Bernardes): …mas a atuação de um caçador evitou a tragédia.

 *PROGRAMA DA HEBE* - "…Que gracinha, gente! Vocês não vão acreditar, mas essa menina  linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?"

 *CIDADE ALERTA* -  (Datena): "…Onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê as autoridades? A menina ia pra casa da vovozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva…  Um lobo, um lobo safado. Põe na tela, primo! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não!"

 *SUPERPOP* -  (Luciana Gimenez): "Geeente! Eu tô aqui com a ex-mulher do lenhador e ela diz que ele é alcoólatra, agressivo e que não paga pensão aos filhos há mais de um ano. Abafa o caso!"

 *GLOBO REPÓRTER* -  (Chamada do programa): "Tara? Fetiche? Violência? O que leva alguém a comer, na mesma noite, uma idosa e uma adolescente? O Globo Repórter conversou com psicólogos, antropólogos e com amigos e parentes do Lobo, em busca da resposta. E uma revelação: casos semelhantes acontecem dentro dos próprios lares das vítimas, que silenciam por medo. Hoje, no Globo Repórter.."

 *DISCOVERY CHANNEL* -  "Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver."

 *REVISTA VEJA* -  "Lula sabia das intenções do Lobo."

 *REVISTA CLÁUDIA* -  "Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho."

 *REVISTA NOVA* -  "Dez maneiras de levar um lobo à loucura, na cama!"

 *REVISTA ISTO É* -  Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.

 *REVISTA PLAYBOY* -  (Ensaio fotográfico do mês seguinte): "Veja o que só o lobo viu."

 *REVISTA G MAGAZINE* -  (Ensaio com o lenhador) "O lenhador mostra o machado."

 *REVISTA CARAS* -  (Ensaio fotográfico com a Chapeuzinho na semana seguinte): Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: "Até ser devorada, eu não dava valor pra muitas coisas na vida. Hoje, sou outra pessoa."

 *REVISTA SUPERINTERESSANTE* -  "Lobo Mau: mito ou verdade?"

 *REVISTA TITITI* -  "Lenhador e Chapeuzinho flagrados em clima romântico em jantar no Rio."

 *FOLHA DE SÃO PAULO* -  "Lobo que devorou menina era do MST"

 *O ESTADO DE SÃO PAULO* -  "Lobo que devorou menina seria filiado ao PT."

 *O GLOBO* -  "Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT, que matou um lobo para salvar menor de idade carente."


 *O DIA* -  "Lenhador desempregado tem dia de herói."


 *EXTRA* -  "Promoção do mês: junte 20 selos, mais 19,90 e troque por uma capa vermelha igual a da Chapeuzinho!"

 *MEIA HORA* -  "Lenhador passou o rodo e mandou lobo pedófilo pro saco!"

 *O POVO* -  "Sangue e tragédia na casa da vovó."


 

Touro reprodutor

Um caboclo tinha um touro que era o melhor da região.
O touro era seu único patrimônio.
Os fazendeiros descobriram que o tal touro era o melhor animal reprodutor
e começaram a alugar o bicho para cobrir suas vacas.
Era só colocar uma vaca perto dele e o touro não perdoava!!!
O caboclo ganhando muuuuiiiiito dinheiro!!!
Os fazendeiros se reuniram e decidiram comprar o touro.
Chegaram na casa do caboclo e falaram:

-Põe preço no seu bicho que vamos comprá-lo.
O caboclo, aproveitando da situação, pediu um preço absurdo.
Os fazendeiros não aceitaram a proposta e foram se queixar com o prefeito da cidade.
Este, sensibilizado com o problema, comprou o animal com o dinheiro da Prefeitura, pagando uma fortuna, e o registrou como patrimônio da cidade .
Fizeram uma festa imensa na cidade....
Os fazendeiros trouxeram suas vacas para o touro cobrir, tudo de graça!!!

Veio a primeira vaca, o touro deu uma cheirada e nada...
- Deve ser culpa da vaca - disse um fazendeiro.
Ela é muito magra!

Trouxeram outra vaca, uma holandesa, a mais bonita da região.
O touro cheirou a vaca e... nada!!!
O Prefeito, desesperado, chamou o caboclo e lhe perguntou o que estava acontecendo.
- Não sei... - disse o caboclo - Ele nunca fez isso antes! -
Deixa eu vou conversar com o touro.


E o caboclo, aproximando-se do bicho, perguntou:
- O que há com você? Não tá mais a fim de trabalhar?

E o touro, dando uma espreguiçada , respondeu:
-
Não me aborrece...
Agora sou funcionário público!!!


Seja um vendedor 100%!!

Motivação é diferente de satisfação. Motivação é tudo aquilo que você ainda não conseguiu. Ser um vendedor 100% é estar atento, é ter a visão e o foco no alvo, no topo, é lá que ele quer, no mínimo chegar e se puder, ultrapassar.

Os perdedores preocupam-se com a derrota, tem mais medo da vida do que da morte. São pessoas que disputam quantas pontes de safena fizeram, quantos anos estão sem férias e jamais discutem resultados.

Para o Vendedor 100% a palavra mais importante do dicionário é atitude e esta envolve, vem acompanhada de outras palavras como clientes, resultados, conhecimento, assistência, preparação, lealdade, comprometimento.

E ser 100% em vendas é ter a palavra amor como a mais importante do mundo: Amor por sua família, seu trabalho, sua profissão, seus clientes, sua empresa, seus produtos.
Essa convicção 100% leva ao compromisso 100% construindo a certeza do sucesso. Ser 100% Vendedor é saber lidar com pressões, com obstáculos, com custos, com informações de mercado, é entender que não existe mercado parado, existe gente parada.

Troque sua meta de 10 por 100. A concorrência será a mesma. A energia será a mesma. O esforço será o mesmo. Os resultados é que serão surpreendentes.
Quando você tenta atirar nas estrelas, acabará acertando a lua. Ao contrário, se você mirar no pé, não tem como errar.

Você nasceu para brilhar. Se você trabalha com vendas seja 100% Vendedor e será 100% Sucesso.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Diálogo de Frutas!

 
Posted by Picasa

Essa é a minha Mensagem de Natal para você!!

Apocalipse 3.20 "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo."

O Natal sempre foi uma época de multidões. Multidões nos Shoppings, multidões viajando, gente correndo para lá e para cá, multidões em festas de confraternizações e por aí vai. Entretanto, quando penso em Jesus Cristo, o verdadeiro sentido do Natal, vejo que em muitos momentos da sua vida, ele foi um homem solitário, a procura de alguém que quisesse estar com ele, como no texto acima.

É verdade que em muitas ocasiões, Jesus também esteve cercado de multidões. Quando Ele transformou água em vinho, ali em Caná da Galileia, havia uma multidão. Quando Ele estava na casa de Pedro e precisaram baixar um paralitico pelo telhado, para que Jesus pudesse curá-lo, ali havia uma multidão. Quando Ele multiplicou pães e peixes, ali também havia uma multidão, mais de 5000 homens, sem contar as mulheres e crianças...

Mas quando Ele nasceu, não havia gente sequer para auxiliar a Maria no seu parto, além de seu esposo José. Por não conseguirem lugar em nenhuma hospedaria em Belém, o Salvador da Humanidade acabou nascendo numa manjedoura, dentro de um estábulo. Não havia multidões...

Quando Ele morreu, até as mulheres que acompanharam sempre o seu ministério, agora o acompanhavam de longe. Na sua grande necessidade não havia multidão que o auxiliasse ou pudesse fazer algo para amenizar o seu sofrer.

Parece que a multidão era atraída única e simplesmente pelo milagre, pela bênção do Senhor e jamais pelo Senhor da bênção.

Até mesmo os quadros e imagens que conhecemos nos mostram um Jesus solitário. Na cruz, sofrendo com coroa de espinho na cabeça, com um coração pegando fogo... No único quadro em que ele está acompanhado – o da Santa Ceia – entre os que o acompanhavam estava o traidor.

O Natal é tempo de alegria, de comunhão, de festa e presentes. Mas nós jamais podemos nos esquecer do verdadeiro sentido do Natal – a vinda de Jesus Cristo aqui à Terra, para aquele que estava perdido – eu e você.

Hoje, Jesus está à porta do nosso coração, aguardando que a abramos, pra que Ele possa entrar e cear, ter comunhão conosco. O que você vai fazer com Jesus nesse Natal? Deixá-lO mais uma vez, solitário, do lado de fora... Ou convidá-lo a entrar e celebrar não apenas um dia, mas o restante de toda a tua vida??

Lembre-se: porta do coração só tem maçaneta do lado de dentro. E Jesus não arromba a porta e nem força uma barra. Abra a porta, receba-O como teu Senhor e Salvador - essa é uma decisão única e individual, só você pode fazer por você mesmo.

E tenha não apenas o melhor Natal que você já viveu. Tenha a certeza da vida abundante aqui na Terra e a vida eterna no futuro!

Que Deus te abençoe! FELIZ NATAL!

Bispo Laerte e Pra. Suami Lafayett

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

COMO ESTIMULAR AS PESSOAS A MELHORAREM

Dale Carnegie

Pete Barllow era um velho amigo meu. Pete fazia uma apresentação com cachorros e cavalos e passou toda a vida viajando com circos e companhias de vaudevilles. Era um prazer para mim ver Pete treinando novos cachorros para a sua apresentação. No momento exato em que o cãozinho fazia o menor progresso, Pete afagava-o, dava-lhe comida e cercava tudo de uma grande auréola de sucesso.

Nisto, aliás, nada há de novo. Treinadores de animais vêm usando a mesma técnica há séculos.

Fico verdadeiramente admirados por que não empregamos técnica idêntica, o mesmo senso prático, quando tentamos modificar as pessoas. O processo usado para os cães não daria resultado na sua aplicação humana? Por que não usar o alimento ao invés do chicote? Por que não usar o elogio, o estímulo, em lugar da censura, da condenação? Elogiemos mesmo os menores progressos. Isto fará com que a pessoa continue melhorando cada vez mais.

No seu livro "Não sou grande coisa – mas sou tudo o que pude", o psicólogo Jess Lair comenta: "O elogio é como a luz do sol para o ardente espírito humano; sem ele, não florescemos e crescemos. Mas, enquanto muitos de nós estamos preparados para soprar contra os outros o frio vento da crítica, de algum modo relutamos em dar ao próximo o aquecedor raio de sol do elogio".

Olho para meu passado e posso ver em que momentos umas poucas palavras elogiosas bastaram para transformar a minha vida até aqui. Você não pode dizer o mesmo a respeito da sua vida? A História está repleta de ilustrações surpreendentes da feitiçaria do elogio.

Por exemplo: há meio século passado [o autor escreve na década de 40], trabalhava numa fábrica, em Nápoles, um menino de dez anos. Desejava ser cantor, mas seu primeiro professor o desencorajou: "Você não pode cantar. Ademais, não tem voz. Quando canta parece o sibilar do vento nas venezianas".

Mas sua mãe, pobre camponesa, enlaçou-o com os braços, elogiou-o e disse-lhe que sabia que podia cantar. Descobriu o seu progresso, e chegou a andar descalça para economizar dinheiro com o fito de pagar suas lições de canto. O incentivo desta mãe camponesa e o seu encorajamento mudaram inteiramente a vida do filho. Você por certo já ouviu falar dele. Chamava-se Caruso e tornou-se o maior cantor de ópera de sua época.

Nos primeiros anos do século XIX, em Londres, um rapazinho sonhava ser um escritor. Mas tudo parecia conspirar contra seu desejo. Não pôde permanecer na escola mais de quatro anos. Seu pai foi encarcerado por não poder saldar seus débitos, e o nosso rapazinho, por vezes, experimentou as agruras da fome.  Finalmente, conseguiu um emprego. Emprego para pregar rótulos em potes de graxa, num armazém infecto e cheio de ratos; dormis, com mais dois outros companheiros, num quarto de atmosfera irrespirável, quase junto à tesoura que sustentava o telhado, nas águas-furtadas de um dos cortiços de Londres. Tinha tão pouca confiança em sua habilidade no escrever que, durante a noite, foi às escondidas colocar no correio seu primeiro manuscrito, para que ninguém risse dele. Contos após contos foram recusados. Mas chegou o grande dia. Um conto foi aceito. Não recebeu um real pelo mesmo, mas o editor o elogiou, deu-lhe consideração. Ficou tão contente que vagou pelas ruas com as lágrimas correndo pela face.

O elogio, o incentivo que recebeu por ver um conto seu no prelo, mudou toda sua carreira, e, não fosse isto, talvez passasse toda a vida naquele infecto armazém, pregando rótulos... Por certo já ouviu falar deste rapaz , muitas vezes. Seu nome era Charles Dickens.

Há meio século passado, um outro rapaz, também em Londres, estava trabalhando como caixeiro de uma casa de secos e molhados. Tinha que levantar-se às cinco da manhã, varrer todo o estabelecimento e, como um escravo, trabalhar diariamente catorze horas. Isto o aborrecia e o rapaz sentia verdadeira revolta. Depois de dois anos, não pôde mais suportar. Levantou-se uma manhã e, sem esperar sequer o café, percorreu 15 milhas a pé para falar com sua mãe que trabalhava como arrumadeira numa casa particular.

Estava furioso. Discutiu com ela. Chorou. Jurou que se mataria se fosse obrigado a permanecer por mais tempo naquela casa comercial. Escreveu, então, uma longa e emocionante carta ao seu antigo professor, dizendo-lhe que estava desiludido, que não sentia mais vontade de viver. O velho mestre mandou-lhe algumas palavras de incentivo, afirmou-lhe que ele era muito inteligente e tinha vocação para coisas mais elevadas. Terminou oferecendo-lhe um lugar de professor.

O elogio mudou inteiramente o futuro deste rapaz e conseguiu torná-lo uma das grandes figuras da literatura inglesa. O caixeiro de secos e molhados, transformado, escreveu desde então inúmeros livros e ganhou mais de um milhão de dólares com a pena. Por certo já ouviu falar também dele. Seu nome é H. G. Wells.

Elogiar, mas não criticar – este é o conceito básico dos ensinamentos de B. F. Skinner. Esse grande psicólogo contemporâneo demonstrou, através de experimentos com animais e seres humanos, que, quando se diminui a crítica e se enfatiza o elogio, as coisas boas que as pessoas fazem recebem reforço e as coisas más são atrofiadas por falta de atenção.

John Ringelspaugh, de Rocky Mount, Carolina do Norte, usava esse ensinamento ao lidar com crianças. Ao que aprecia, como acontece em tantas famílias, a forma principal de comunicação empregada pela mãe e pelo pai era o grito. E, como em tantos casos, a cada sessão as crianças pioravam em vez de melhorar – o mesmo sucedia com os pais. Parecia não haver fim à vista para tal problema.

O Sr. Ringelspaugh decidiu empregar alguns dos princípios que vinha aprendendo no nosso curso para resolver essa situação. Ele relatou: "resolvemos utilizar o elogio, em vez de acentuar as faltas. Não era nada fácil, uma vez que só conseguíamos enxergar as coisas negativas; era realmente difícil encontrar coisas dignas de elogio. Conseguimos encontrar algumas e, no primeiro ou no segundo dia, deixaram de fazer algumas das coisas mais desagradáveis. Logo, algumas de suas faltas desapareceram. Começaram a se concentrar nos elogios que lhes fazíamos. Chegaram mesmo a se empenhar em fazer coisas corretas. Ninguém pôde acreditar. Naturalmente, isso não durou para sempre, mas a norma de comportamento alcançada após o nivelamento das ações mostrou-se bem melhor. Abandonamos as reações que tínhamos. As crianças praticavam mais ações boas que más". Tudo isso resultou do elogio ao menor sinal de desenvolvimento das crianças, e não da crítica enfática aos erros.

Essa atitude obtém resultados também no âmbito do trabalho. Keith Roper, de Woodland Hills, Califórnia, aplicou tal princípio a uma situação na sua empresa. Chegou-lhe às mãos um trabalho de estamparia de qualidade excepcional. O trabalho fora realizado por um impressor que vinha encontrando dificuldade de se adaptar ao sistema da companhia, visto que tinha sido contratado recentemente. O seu supervisor aborreceu-se com o que considerou uma atitude negativa e pensou seriamente em dispensá-lo.

Quando o Sr. Roper foi informado da situação, dirigiu-se à estamparia e conversou com o jovem empregado. Disse-lhe o quanto se sentia satisfeito com o trabalho que tinha recebido e qualificou-o como o melhor já realizado na estamparia naqueles tempos. Apontou o que exatamente lhe parecia de alta qualidade e enfatizou a importância do jovem para a empresa.

Você acha que isso alterou a atitude do jovem impressor para com a companhia? Em poucos dias houve uma reviravolta completa. O rapaz contou a vários de seus colegas o que tinha ouvido e como a companhia realmente apreciara seu trabalho. A partir desse dia, tornou-se um trabalhador leal e dedicado.

O Sr. Roper não adulou simplesmente o jovem impressor ao dizer: "Você é bom". Destacara a superioridade de seu trabalho. Como havia se referido a uma realização específica, em vez de fazer elogios generalizados, seu elogio se tornou ainda mais significativo para o empregado. Todo o mundo gosta de receber elogios, mas quando sinceros e específicos – não algo que se diga apenas para que o outro se sinta bem.

Lembre-se: todos nós necessitamos de valorização e de reconhecimento, e por eles faremos qualquer coisa. Mas ninguém quer falta de sinceridade. Ninguém quer apenas adulação.

Repito: os princípios ensinados neste livro serão eficazes se, e apenas se, forem praticados de coração. Não estou advogando um punhado de truques. Eu falo de uma nova maneira de viver.

Falo sobre modificações de pessoas! Se você e eu incentivarmos as pessoas com as quais entramos em contato para a compreensão de todos os tesouros que trazem latentes, nós poderemos fazer mais do que modificá-las. Poderemos literalmente, transformá-las.

Exagero? Ouça então as sábias palavras de William James, um dos mais notáveis psicólogos e filósofos que os Estados Unidos já produziram:

"Comparados com o que devíamos ser, estamos apenas meio acordados. Usamos apenas uma pequena parte de nossas reservas física e mental. Ou, dizendo isto em palavras mais claras, o indivíduo humano vive aquém de suas possibilidades. Possui poderes de várias espécies que, habitualmente, deixa de usar".

Sim, você que está lendo estas linhas possui poderes de várias espécies que habitualmente deixa de usar; e um destes poderes que você com certeza não usa como devia, é a mágica habilidade de elogiar as pessoas, incentivando-as com a compreensão das suas possibilidades latentes.

Com a crítica, a capacidade declina; com o estímulo, floresce. Para você se tornar um líder eficiente, aplique o seguinte princípio:

ELOGIE O MENOR PROGRESSO E TAMBÉM CADA NOVO PROGRESSO. SEJA "CALOROSO EM SUA APROVAÇÃO E GENEROSO EM SEU ELOGIO".

(Dale Carnegie, em sua obra: "Como fazer amigos e influenciar pessoas"; capítulo VI da parte IV).

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

SER CHIQUE SEMPRE!

GLÓRIA KALIL

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.

A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.

Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.

O que faz uma  pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é  quem fala baixo.

Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e
nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.

Chique mesmo é parar na faixa de pedestre
É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua. Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador.

É lembrar do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais! Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor.
É "desligar o radar" quando estiverem sentados à mesa do restaurante, e prestar verdadeira atenção a sua companhia.
Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona

e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer,
ainda que você seja o homenageado da noite!

Mas  para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos retornar ao mesmo lugar, na mesma forma de energia.

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não te faça bem.
Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!

Porque, no final das contas, chique mesmo é ser feliz!

Investir em conhecimento pode nos tornar sábios... mas amor e fé nos tornam humanos!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Generosidade no Mercado de Trabalho

Por Rick Boxx

Um amigo - que chamarei de João - tinha a reputação de ser generoso não apenas com pessoas de sua comunidade, como também com as que ele mal conhecia, mas cujas necessidades chegavam ao seu conhecimento. João não praticava tais atos de generosidade em troca de reconhecimento, mas pela alegria de ser capaz de usar um pouco dos recursos que possuía para satisfazer as necessidades dessas pessoas.

Um dia algo inesperado o levou a compreender que embora estivesse demonstrando cuidado com pessoas fora de seu ambiente de trabalho, ele estava deixando de cuidar dos membros de sua própria equipe. João e a esposa descobriram que um empregado passava sérias dificuldades que poderiam ser remediadas com poucos recursos. Ele tomou a iniciativa de reunir os materiais e mobilizar empregados, formando uma equipe para solucionar o problema. Trabalhando em conjunto, ninguém precisou se sacrificar, demonstrando que "Muitas mãos tornam o trabalho leve." 

Atualmente João continua sendo extremamente generoso doando seu tempo e energia, bem como recursos materiais. Contudo, ele faz questão de estar atento às necessidades que surgem dentro de sua própria empresa que, em sentido real, é como uma família. Olhando para trás, João fica sem jeito ao lembrar como foi incapaz de detectar as dificuldades que existiam em seu ambiente de trabalho, bem debaixo do seu nariz. 

Claro que ele não estava intencionalmente ignorando necessidades que poderiam ser óbvias. Às vezes é fácil deixar de enxergar o que precisam aqueles que estão próximos de nós no trabalho ou  no lar, quando o foco está em identificar pessoas de fora que estão enfrentando lutas. A visão se torna de longo alcance, quando seria mais útil enxergar o que está próximo.

Podemos aprender uma lição com pastores do Oriente Médio que cuidam de seus rebanhos vigiando constantemente para assegurar-lhes bem-estar e segurança. Examinam cuidadosamente o perímetro em torno do rebanho, para garantir que nenhum predador está se aproximando. Mas também vigiam cada ovelha de perto para prevenir doenças e ferimentos ou simplesmente impedir que coma algo prejudicial. 

Podemos aplicar essa analogia ao nosso papel de líder, executivo ou gestor. Como pastores do ambiente de trabalho nossos empregados devem ser considerados como família. Afinal estão a nosso serviço. Embora tenhamos o direito de esperar que desempenhem suas funções de modo produtivo e eficiente, eles também têm o direito de esperar ajuda em tempos difíceis. Isso pode incluir aconselhamento, licença do trabalho, assistência profissional em área específica, auxílio para solucionar questões familiares e até mesmo ajuda financeira quando apropriado. 

 Na Bíblia, I Timóteo 5.8 ensina: "Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente."  Que afirmação vigorosa! Embora os empregados não sejam família em termos de sangue e hereditariedade, se você é líder, a generosidade precisa ser demonstrada em seu ambiente de trabalho.  E deve começar por você!

Próxima semana tem mais!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Porque todo esse alvoroço??

Pr. Josué Praça (RJ)

"[Jesus disse] Por que todo este alvoroço e lamento? A criança não está morta, mas dorme... [Ele] tomou-a pela mão e lhe disse: ... 'menina, eu lhe ordeno, levante-se!' Imediatamente a menina, que tinha doze anos de idade, levantou-se e começou a andar..." Marcos 5.39,41,42 (NVI).

Que história emocionante! Quando Jairo, um dos dirigentes da sinagoga, chegou a Jesus, prostrou-se a seus pés e IMPLOROU insistentemente que Ele curasse sua filhinha que estava morrendo.

Jairo convidou Jesus a ir com ele apressadamente e impor Suas mãos curadoras sobre sua menina para que continuasse a viver. Ele ouvira falar sobre Jesus, mas provavelmente ainda não tomara a decisão de segui-lo como Senhor. E como não mais havia esperança de restauração para sua filha, resolveu ir até Jesus.

Se as histórias que ouvira fossem reais, sua filha também seria curada. Quando lembrou-se de Jesus, suas esperanças foram renovadas e teve fé suficiente que Ele restauraria a saúde de sua filhinha amada.

Quando Jesus chegou na casa de Jairo havia um grande alvoroço e muito lamento. A menina morrera. O desespero e a desesperança tomaram conta do lugar. Enfim, tudo acabado.

Engano deles, NADA ACABARA! Era o início de mais um milagre do Médico dos médicos. Jesus tomou a menina pela mão e ordenou que se levantasse. Porque até os mortos ouvem Sua voz, a menina começou a andar. Que momento de glória. Em vez de alvoroço e lamento, todos ficaram atônitos com o que Jesus fizera.

Talvez você esteja vivendo uma situação que tem levado perturbação à sua mente, agitado e alvoroçado seu coração. Não há esperança para você e sua família. O caos tomou conta de tudo e hoje só existem lamentos, choro e tristeza por onde quer que vá.

Faça como Jairo, convide Jesus a resolver o insolúvel. Talvez, como ele, você só tenha ouvido falar do grande poder de Jesus, mas nunca o experimentou. Se não há mais perspectiva, recorra a Jesus. Ele fará o que ninguém mais faz.

Com toda certeza Jesus transformará seu lamento em uma grande festa, como disse Davi no Salmo 30, verso 11 "Mudaste meu pranto [lamento] em dança [baile] a minha veste de lamento em veste de alegria". Convide-o a tomar conta de sua vida, abandone o alvoroço que tenta roubar a paz de seu coração e descanse em Deus. Ele agirá.

Se quiser saber mais sobre Jesus, procure a Igreja Renascer em Cristo mais próxima a sua casa ou seu trabalho (veja endereços em www.igospel.org.br ou ligue 0300-210-1212) ou mande-me um e-mail para bispolaerte@renascer.org.br. Terei o maior prazer em auxiliar você. Deus abençoe!

Amo Ser Renascer!

ENTREVISTA COM O DIABO:

QUEM O CRIOU?
Lúcifer : Fui criado pelo próprio Deus, bem antes da existência do homem. [Ezequiel 28:15]

COMO VOCÊ ERA QUANDO FOI CRIADO?
Lúcifer : Vim à existência já na forma adulta e, como Adão, não tive infância. Eu era um símbolo de perfeição, cheio de sabedoria e formosura e minhas vestes foram preparadas com pedras preciosas. [Ezequiel 28:12,13]

ONDE VOCÊ MORAVA?
Lúcifer : No Jardim do Éden e caminhava no brilho das pedras preciosas do monte Santo de Deus. [Ezequiel 28:13]

QUAL ERA SUA FUNÇÃO NO REINO DE DEUS?
Lúcifer : Como querubim da guarda, ungido e estabelecido por Deus, minha função era guardar a Glória de Deus e conduzir os louvores dos anjos. Um terço deles estava sob o meu comando. [Ezequiel 28:14; Apocalipse 12:4]

ALGUMA COISA FALTAVA A VOCÊ?
Lúcifer : (reflexivo, diminuiu o tom de voz) Não, nada. [Ezequiel 28:13]

O QUE ACONTECEU QUE O AFASTOU DA FUNÇÃO DE MAIOR HONRA QUE UM SER VIVO PODERIA TER?
Lúcifer : Isso não aconteceu de repente. Um dia eu me vi nas pedras (como espelho) e percebi que sobrepujava os outros anjos (talvez não a Miguel ou Gabriel) em beleza, força e inteligência. Comecei então a pensar como seria ser adorado como deus e passei a desejar isto no meu coração. Do desejo passei para o planejamento, estudando como firmar o meu trono acima das estrelas de Deus e ser semelhante a Ele. Num determinado dia tentei realizar meu desejo, mas acabei expulso do Santo Monte de Deus. [Isaías 14:13,14; Ezequiel 28: 15-17]

O QUE DETONOU FINALMENTE A SUA REBELIÃO?
Lúcifer : Quando percebi que Deus estava para criar alguém semelhante a Ele e, por conseqüência, superior a mim, não consegui aceitar o fato. Manifestei então os verdadeiros propósitos do meu coração. [Isaías 14:12-14]

O QUE ACONTECEU COM OS ANJOS QUE ESTAVAM SOB O SEU COMANDO?
Lúcifer : Eles me seguiram e também foram expulsos. Formamos juntos o império das trevas. [Apocalipse 12:3,4]

COMO VOCÊ ENCARA O HOMEM?
Lúcifer : (com raiva) Tenho ódio da raça humana e faço tudo para destruí-la, pois eu a invejo. Eu é que deveria ser semelhante a Deus. [1Pedro 5:8]

QUAIS SÃO SUAS ESTRATÉGIAS PARA DESTRUIR O HOMEM?
Lúcifer : Meu objetivo maior é afastá-los de Deus. Eu estimulo a praticar o mal e confundo suas idéias com um mar de filosofias, pensamentos e religiões cheias de mentiras, misturadas com algumas verdades. Envio meus mensageiros travestidos, para confundir aqueles que querem buscar a Deus. Torno a mentira parecida com a verdade, induzindo o homem ao engano e a ficar longe de Deus, achando que está perto. E tem mais. Faço com que a mensagem de Jesus pareça uma tolice anacrônica, tento estimular o orgulho, a soberba, o egoísmo, a inimizade e o ódio dos homens. Trabalho arduamente com o meu séquito para enfraquecer as igrejas, lançando divisões, desânimo, críticas aos líderes, adultério, mágoas, friezas espirituais, avareza e falta de compromisso (ri às escaras). Tento destruir a vida dos pastores, principalmente com o sexo, ingratidão, falta de tempo para Deus e orgulho. [1Pedro 5:8; Tiago 4:7; Gálatas 5:19-21; 1 corintios 3:3; 2 Pedro 2:1; 2 Timóteo 3:1-8; Apocalipse 12:9]

E SOBRE O FUTURO?
Lúcifer : (com o semblante de ódio) Eu sei que não posso vencer a Deus e me resta pouco tempo para ir ao lago de fogo, minha prisão eterna. Eu e meus anjos trabalharemos com afinco para levarmos o maior número possível de pessoas conosco. [Ezequiel 28:19; Judas 6; Apocalipse 20:10,15]


 

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

A Minha Mensagem de Natal!!

Apocalipse 3.20 "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo."

O Natal sempre foi uma época de multidões. Multidões nos Shoppings, multidões viajando, gente correndo para lá e para cá, multidões em festas de confraternizações e por aí vai. Entretanto, quando penso em Jesus Cristo, o verdadeiro sentido do Natal, vejo que em muitos momentos da sua vida, ele foi um homem solitário, a procura de alguém que quisesse estar com ele, como no texto acima.

É verdade que em muitas ocasiões, Jesus também esteve cercado de multidões. Quando Ele transformou água em vinho, ali em Caná da Galileia, havia uma multidão. Quando Ele estava na casa de Pedro e precisaram baixar um paralitico pelo telhado, para que Jesus pudesse curá-lo, ali havia uma multidão. Quando Ele multiplicou pães e peixes, ali também havia uma multidão, mais de 5000 homens, sem contar as mulheres e crianças...

Mas quando Ele nasceu, não havia gente sequer para auxiliar a Maria no seu parto, além de seu esposo José. Por não conseguirem lugar em nenhuma hospedaria em Belém, o Salvador da Humanidade acabou nascendo numa manjedoura, dentro de um estábulo. Não havia multidões...

Quando Ele morreu, até as mulheres que acompanharam sempre o seu ministério, agora o acompanhavam de longe. Na sua grande necessidade não havia multidão que o auxiliasse ou pudesse fazer algo para amenizar o seu sofrer.

Parece que a multidão era atraída única e simplesmente pelo milagre, pela bênção do Senhor e jamais pelo Senhor da bênção.

Até mesmo os quadros e imagens que conhecemos nos mostram um Jesus solitário. Na cruz, sofrendo com coroa de espinho na cabeça, com um coração pegando fogo... No único quadro em que ele está acompanhado – o da Santa Ceia – entre os que o acompanhavam estava o traidor.

O Natal é tempo de alegria, de comunhão, de festa e presentes. Mas nós jamais podemos nos esquecer do verdadeiro sentido do Natal – a vinda de Jesus Cristo aqui à Terra, para aquele que estava perdido – eu e você.

Hoje, Jesus está à porta do nosso coração, aguardando que a abramos, pra que Ele possa entrar e cear, ter comunhão conosco. O que você vai fazer com Jesus nesse Natal? Deixá-lO mais uma vez, solitário, do lado de fora... Ou convidá-lo a entrar e celebrar não apenas um dia, mas o restante de toda a tua vida??

Lembre-se: porta do coração só tem maçaneta do lado de dentro. E Jesus não arromba a porta e nem força uma barra. Abra a porta, receba-O como teu Senhor e Salvador - essa é uma decisão única e individual, só você pode fazer por você mesmo.

E tenha não apenas o melhor Natal que você já viveu. Tenha a certeza da vida abundante aqui na Terra e a vida eterna no futuro!

Que Deus te abençoe! FELIZ NATAL!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Prossiga!!

Pr. Josué Praça (RJ)

"... esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus." Filipenses 3.13 e 14 (NVI)

Esta declaração do apóstolo Paulo é maravilhosa. Ele deixou todo seu conhecimento e toda sua cultura para trás após ter conhecido o Senhor Jesus. Para ele nada mais importava a não ser fazer a vontade de Jesus.

O que Deus pôs em meu coração para falar com você hoje é sobre o prosseguir para o alvo.

Filipenses é uma das cartas que Paulo escreveu quando estava preso por pregar a Palavra de Jesus. Imagine o sofrimento deste grande homem de Deus que não se deixou intimidar por isso e continuou a pregar através de suas cartas e seu testemunho de vida.

Quando ele disse que prosseguia para o alvo, no grego, quer dizer que Paulo fazia um violento esforço para frente. Deixou o passado em seu devido lugar e prosseguiu para o alvo que é Jesus.

Jesus é mais maravilhoso do que tudo na vida e por isto Paulo considerou o que possuía como esterco (v. 8).

Faça o mesmo que Paulo. Não é fácil abandonar o passado e prosseguir, por isso precisará, assim como Paulo, fazer um violento esforço PARA FRENTE e se esquecer das situações runs que ficaram para trás.

Recordar o passado que machuca você será prejudicial na corrida da fé em Jesus. E para ganhar o prêmio, precisará se esforçar. Haja o que houver não deixe de prosseguir e mesmo que chore, Jesus consolará você e alegrará seu coração.

Mais uma vez quero abençoar sua vida com uma canção que é uma das minhas preferidas: http://www.youtube.com/watch?v=v6LDH-0Dt40

Deus abençoe você!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Filhotes do Kevin e da Kenia no colinho da Vovó Coruja!!

O Secador de Cabelos

Uma Senhora muito distinta estava em um avião vindo da Suíça. Vendo que estava sentada ao lado de um padre simpático, perguntou:
 - Desculpe-me, padre, posso lhe pedir um favor?
 - Claro, minha filha, o que posso fazer por você?
-  É que eu comprei um novo secador de cabelo sofisticado, muito caro. Eu realmente ultrapassei os limites da declaração e estou preocupada com a
Alfândega. Será que o Senhor poderia levá-lo debaixo de sua batina?
 - Claro que posso, minha filha, mas você deve saber  que eu não posso mentir!
-  O Senhor tem um rosto tão honesto, Padre, que estou certa que eles não lhe farão nenhuma pergunta. E lhe deu o secador.
-  O avião chegou a seu destino.Quando o padre se apresentou à Alfândega, lhe perguntaram:
- Padre, o senhor tem algo a declarar?
O padre prontamente respondeu:
- Do alto da minha cabeça até a faixa na minha cintura, não tenho nada a declarar, meu filho.
 Achando a resposta estranha, o fiscal da Alfândega perguntou:
- E da cintura para baixo, o que o Senhor tem?
- Eu tenho um equipamento maravilhoso, destinado ao uso doméstico, em especial para as mulheres, mas que nunca foi usado.
Caindo na risada, o fiscal exclamou:
- Pode passar, Padre! O próximo...

A inteligência faz a diferença.
Não é necessário mentir, basta escolher as palavras certas.

Evolução da Educação

Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação,
datilografia...
Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas,
Práticas Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a
Bandeira Nacional antes de iniciar as aulas.

Leiam relato de uma Professora de Matemática:

Semana passada comprei um produto que custou R$15,80. Dei à balconista R$ 20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.
Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos
olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente
continuava sem entender. Por que estou contando isso? Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que
foi assim:

  1. Ensino de matemática em 1950:

    Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de
    produção é igual a 4/ 5 do preço de venda . Qual é o lucro?

  2. Ensino de matemática em 1970:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$80,00. Qual é o lucro?

  1. Ensino de matemática em 1980:

    Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de
    produção é R$80,00. Qual é o lucro?

  2. Ensino de matemática em 1990:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

  1. Ensino de matemática em 2000:

    Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de
    produção é R$80,00. O lucro é de R$ 20,00.
    Está certo?

    ( )SIM ( ) NÃO

  2. Ensino de matemática em 2009:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$ 80,00.Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

7. Em 2010 vai ser assim:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00. (Se você é afro descendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder)

( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

E se um moleque resolve pichar a sala de aula e a professora faz com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos pois a
professora provocou traumas na criança.


Em 1969 os Pais do aluno perguntavam ao "aluno": "Que notas são estas...????

Em 2009 os Pais do aluno perguntam ao "professor": "Que notas são
estas...????


"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"
Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro de casa e recebe o exemplo vindo de seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos, inclusive em respeitar o planeta onde vive...

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Gratidão Pelo Nosso Trabalho

Por Robert J. Tamasy

 Esta semana milhões de pessoas em todo o mundo participarão de alguma forma da comemoração anual do Dia de Ação de Graças- Dia de Gratidão. Nos Estados Unidos é feriado nacional. Mas independentemente do país ou cultura, a expressão de agradecimento intencional é sempre apropriada.

 A maior parte dos leitores do Maná da Segunda dedica-se ativamente às suas responsabilidades profissionais. Portanto, é adequado considerar o ato de gratidão com relação à nossa vocação e carreira. Freqüentemente alguns se referem ao trabalho como "mal necessário", mas na verdade, ele é tudo menos isso. Considere alguns dos aspectos positivos do trabalho:

  • É meio para expressão e uso de nossas habilidades, perícia e talentos.
  • Ajuda a dar significado e propósito à nossa vida.
  • Oferece oportunidades para perseguirmos nossas paixões–interesses e causas que nos levam a antecipar o início de um novo dia com entusiasmo.
  • Proporciona-nos possibilidade de servir a outras pessoas de diversas maneiras.
  • Capacita-nos a realizar parte do nosso chamado como membros da criação de Deus.

Lemos na Bíblia que Deus deu à raça humana uma missão:"Deus os abençoou e lhes disse:Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem pela terra" (Gênesis 1.28). Teólogos chamam isso de "mandamento cultural", em que Deus atribuiu a administração da Terra aos seres humanos.

 Quando muitos ainda vacilam sob os efeitos da economia global, sem trabalho ou tendo necessidade de aceitar postos aquém de sua capacitação, ser grato pelo trabalho pode representar um desafio. A maioria de nós, porém, está empregada e tem muitos motivos para sentir-se grato e expressar sua gratidão.

 Claro que todo trabalho envolve elementos pouco desejáveis. Participar de reuniões para alguns representa uma interrupção da tarefa que apreciam fazer;para outros, reuniões são a parte mais significativa do trabalho. Para outros (como eu), escrever é um aspecto prazeroso do trabalho; mas outros preferem fazer qualquer coisa menos escrever. Mas o que torna o trabalho intrigante é o fato de ninguém estar habilitado ou interessado em fazer tudo sozinho. Precisamos das habilidades e experiências uns dos outros para ter a satisfação de sermos parte de algo muito maior.

 Ao pensar em como e porque ser grato pelo nosso trabalho, consideremos o que a Bíblia diz:

 Trabalho oferece meio de prover nossas necessidades. Não há como negar que é através do trabalho que obtemos recursos para adquirir alimentos, roupas, abrigo e outras necessidades. Trabalho também proporciona senso de dignidade e realização. "O apetite do trabalhador o obriga a trabalhar;a sua fome o impulsiona" (Provérbios16.26).

 Trabalho pode ser fonte de prazer. Alguém disse: "Se você gosta do que faz, jamais terá que 'trabalhar' um dia sequer de sua vida". Se você tem um trabalho que corresponde aos seus interesses e habilidades é um privilegiado. "Por isso conclui que não há nada melhor para o homem do que desfrutar do seu trabalho, porque esta é a sua recompensa" (Eclesiastes 3.22).

 Trabalho é oportunidade de servir a Deus. Nossos talentos e habilidades, embora tenhamos que gastar anos para refiná-los, são um presente de Deus."Tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando por meio d'Ele graças a Deus Pai... Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor e não para os homens" (Colossenses 3.17,23).

 Próxima semana tem mais!

Pagando Contas no Caixa Eletronico

 
Posted by Picasa

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A TEORIA DAS JANELAS PARTIDAS

Por Prof. Uriel Villas Boas


 

Em 1969, na Universidade de Stanford (EUA), o Prof. Phillip Zimbardo realizou uma experiência de Psicologia Social.  Deixou duas viaturas abandonadas na via pública; duas viaturas idênticas, da mesma marca, modelo e até cor. Uma deixou no Bronx, na altura de uma zona pobre e conflituosa de Nova York e a outra em Palo Alto, uma zona rica e tranqüila da Califórnia. Duas viaturas idênticas abandonadas, dois bairros com populações muito diferentes e uma equipe de especialistas em Psicologia Social estudando as condutas das pessoas em cada sítio.

Resultou que a viatura abandonada em Bronx começou a ser vandalizada em poucas horas. Perdeu as rodas, o motor, os espelhos, o rádio, etc.  Levaram tudo o que fosse aproveitável e aquilo que não puderam levar, destruíram. Contrariamente, a viatura abandonada em Palo Alto manteve-se intacta.
É comum atribuir à  pobreza as causas de um delito. Atribuições em que coincidem as posições ideológicas mais conservadoras, (da direita e esquerda). Contudo, a experiência em questão não terminou ai, quando a viatura abandonada em Bronx já estava desfeita e a de Palo Alto estava há uma semana impecável, os investigadores partiram um vidro do automóvel de Palo Alto.

O resultado foi que se desencadeou o mesmo processo que o de Bronx, e o roubo, a violência e o vandalismo reduziram o veículo ao mesmo estado que o do bairro pobre. Por que o vidro partido na viatura abandonada num bairro supostamente seguro, foi capaz de disparar todo um processo delituoso?

Não se trata de pobreza. Evidentemente  algo que tem que ver com a psicologia humana e com as relações sociais.

Um vidro partido numa viatura abandonada transmite uma idéia de deterioração, de desinteresse, de despreocupação, o que vai quebrar os códigos de convivência, como de ausência de lei, de normas, de regras, como que vale tudo. Cada novo ataque que a viatura sofre reafirma e multiplica essa idéia, até que a escalada de atos cada vez piores, se torna incontrolável, desembocando numa violência irracional.
Em experiências posteriores (James Q. Wilson e George Kelling), desenvolveram a 'Teoria das Janelas Partidas', a mesma que de um  ponto de vista criminalístico, conclui que o delito é maior nas zonas onde o descuido, a sujidade, a desordem e o maltrato são maiores. Se quebra-se um vidro de uma janela de um edifício e ninguém o repara, muito rapidamente estarão partidos todos os demais. Se uma comunidade exibe sinais de deterioração e isto parece não importar a ninguém, então ali se gerará o delito.

Se se cometem 'pequenas faltas' (estacionar em lugar proibido, exceder o limite de velocidade ou passar um semáforo vermelho) e as mesmas não são sancionadas, então começam as faltas maiores e logo delitos cada vez mais graves. Se se permitem atitudes violentas como algo normal no desenvolvimento das crianças, o padrão de desenvolvimento será de maior violência quando estas pessoas forem adultas.
Se os parques e outros espaços públicos deteriorados são progressivamente abandonados pela maioria das pessoas (que deixa de sair das suas casas por temor a criminalidade), estes mesmos espaços abandonados pelas pessoas são progressivamente ocupados pelos delinquentes.

A Teoria das Janelas Partidas foi aplicada pela primeira vez em meados da década de 80 no metro de Nova York, o qual se havia convertido no ponto mais perigoso da cidade. Começou-se por combater as pequenas transgressões: graffitis deteriorando o lugar, sujidade das estações, ebriedade entre o público, evasões ao pagamento de passagem, pequenos roubos e desordens. Os resultados foram evidentes. Começando pelo pequeno conseguiu-se fazer do metrô um lugar seguro.
Posteriormente, em 1994, Rudolph Giuliani, prefeito de Nova York, baseado na Teoria das Janelas Partidas e na experiência do metrô, impulsionou uma política de 'Tolerância Zero'. A estratégia consistia em criar comunidades limpas e ordenadas, não permitindo transgressões as  Lei e às normas de convivência urbana. O resultado prático foi uma enorme redução de todos os índices criminais da cidade de Nova York.

A expressão 'Tolerância Zero' soa como uma espécie de solução autoritária e repressiva, mas o seu conceito principal é muito mais a prevenção e promoção de condições sociais de segurança. Não se trata de linchar o delinqüente, nem da prepotência da polícia, de fato, a respeito dos abusos de autoridade deve também aplicar-se a tolerância zero.

Não é tolerância zero em relação à  pessoa que comete o delito, mas tolerância zero em relação ao próprio delito. Trata-se de criar comunidades limpas, ordenadas, respeitosas da lei e dos códigos básicos da convivência social humana.


Artigo baseado no livro "Broken Windows" byJames Q. Wilson and George L. Kelling


 

Testemunho da Presbítera Tatiana

Somos um mundo de tagarelas!!

Somos um mundo de tagarelas. A conversa está em toda a parte: pelo rádio, programas televisivos de entrevistas, telefones celulares... O problema é que quanto mais a gente fala, maiores são as chances de nossa boca nos colocar em apuros! Eis aqui algumas sugestões extraídas da Bíblia sobre como governar a boca:

  1. Pense antes de falar! Faça uma pausa e acione a engrenagem da sua mente antes de abrir a boca. "Pessoas inteligentes pensam antes de falar. O que dizem, então, é muito mais convincente" (Provérbios 16:23). "Você terá que viver com as conseqüências de tudo quanto disser" (Provérbios 18.20).
  2. Fale sempre a verdade! Com freqüência deixamos de dizer a verdade para evitar conflitos. Não queremos "entornar o caldo", mas ao final, isso só torna as coisas ainda piores. A desonestidade destrói relacionamentos. "Aquele que retém a verdade causa problemas" (Provérbios 10:20). O verdadeiro amigo usa de honestidade. "A resposta honesta é sinal de uma amizade verdadeira" (Provérbios 24.26). "Afinal de contas, as pessoas apreciam mais a franqueza do que a bajulação" (Provérbios 28.23).
  3. Fale a verdade com amor! Este é o filtro para o segundo item citado acima. Jamais empunhe a verdade como bastão para nocautear outra pessoa. "Palavras descuidadas podem ferir tão profundamente quanto uma espada, mas palavras ditas com sabedoria podem promover cura" (Provérbios 12.18). "Uma palavra de encorajamento opera maravilhas" (Provérbios 12.25).
  4. Fale para curar, não para ferir. Usando palavras descuidadas geralmente podemos causar danos mais duradouros do que a injúria física. Por isso, devemos ter cuidado com o uso que fazemos das palavras, a fim de que elas produzam resultados positivos, benéficos. "Não permitam qu e nenhuma palavra prejudicial escape de sua boca, mas somente aquelas que sirvam para ajudar no progresso do outro, de acordo com suas necessidades, e possam beneficiar aos que as ouvem" (Efésios 4.29).
  5. Finalmente peça que Deus o ajude a governar sua boca. Amo a tradução da Bíblia Viva do Salmo 141.3:"Ó, Senhor, ajuda-me a tomar cuidado com o que falo!" Em outras palavras: "Ajuda-me a manter a minha boca fechada!"


 

Texto de autoria do Pr. Rick Warren


 

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Deus muda sua perspectiva

(por Pr. Josué Praça – RJ)

"Juro pelo nome do Senhor, o teu Deus, que não tenho nenhum pedaço de pão; só um punhado de farinha num jarro e um pouco de azeite numa botija. Estou colhendo uns dois gravetos para levar para casa e preparar uma refeição para mim e para o meu filho, para que a comamos e depois morramos." 1 Reis 17.12 (NVI)

Muito interessante a história desta viúva. O riacho de sua cidade secou-se por falta de chuva e veio uma grande escassez na região.

A situação na qual se encontrava era tão terrível que sua perspectiva era cozer o que lhe restava de comida para que ela e seu filho fizessem sua última refeição. Depois disto, só lhes restaria aguardar a morte.

Mas algo sobrenatural aconteceu. Deus enviou um servo Seu, o profeta Elias, para ajudar aquela mulher. Apesar de a maneira em que o milagre fora realizado ter sido inusitada, a viúva obedeceu. Utilizou todo o material restante para preparar primeiramente comida para o profeta e do que sobrasse a ela e seu filho. Que loucura, não?

Mas por causa desta atitude nova, experimentou um milagre novo. Porque ousou obedecer ao pedido 'maluco' do homem de Deus, foi abençoada e houve azeite e farinha suficientes em sua casa até o dia em que a chuva tornou a cair em sua cidade.

Como está sua vida hoje? Um verdadeiro caos? Já ousou a obedecer à voz do Senhor como nunca fez antes?

Deus exigiu dela tudo o que possuía... e este sustento só serviria para ajudá-los a sobreviver por mais alguns dias... ela não tinha nada a perder... morreria do mesmo jeito! Então resolveu crer na Palavra do Senhor, mesmo pondo sua vida e seu sustento em xeque. Não pensou em si e em seu filho, mas confiou no Senhor.

O que Deus tem pedido a você? Sua vida? Seu tempo? Uma parte de seu recurso? Confiança verdadeira nEle? Obediência total e irrestrita a Ele? Seu casamento? Seu relacionamento? Seu amor?

Com certeza a viúva foi testada por Deus... como passou no teste, recebeu a recompensa.

Um conselho? Faça o que Jesus manda. Isto pode ser um teste e com certeza você não quererá ser reprovado. Deus tem pedido algo inusitado a você que, por medo (o que é bem natural), não consegue fazer. Com certeza Ele será o seu sustento. Creia nisto e você terá uma nova visão de seu futuro... sua perspectiva será mudada pelo Senhor.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

VOCÊ É ÚNICO. VOCÊ É INSUBSTITUÍVEL!

Na sala de reunião de uma multinacional o diretor nervoso fala com sua equipe de gestores. 

 Agita as mãos, mostra gráficos e, olhando nos olhos de cada um, ameaça com um grito: "ninguém é insubstituível" .

 A frase parece ecoar nas paredes da sala de reunião em meio ao silêncio.  Os gestores se entreolham, alguns abaixam a cabeça.  Ninguém ousa falar nada.

 De repente um braço se levanta e o diretor se prepara para triturar o atrevido:

- Alguma pergunta?

- Tenho sim.

- E Beethoven ?

- Como? - o encara o diretor confuso.

- O senhor disse que ninguém é insubstituível e quem substituiu Beethoven?

 Silêncio.....

 O funcionário fala então:

- Ouvi essa estória esses dias, contada por um profissional que conheço e achei muito pertinente falar sobre isso. Afinal as empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas, no fundo continuam achando que os profissionais são peças dentro da organização e que, quando sai um, é só encontrar outro para por no lugar.

Quem substituiu Beethoven? Tom Jobim? Ayrton Senna? Ghandi? Frank Sinatra? Garrincha? Santos Dumont? Monteiro Lobato? Elvis Presley? Os Beatles? Jorge Amado? Pelé? Paul Newman? Tiger Woods? Albert Einstein? Picasso? Zico? etc...

Todos esses talentos marcaram a história

fazendo o que gostam e o que sabem fazer bem, ou seja, fizeram seu talento brilhar.

E, portanto, são sim insubstituíveis.

Cada ser humano tem sua contribuição a dar e seu talento direcionado para alguma coisa.

Está na hora dos líderes das organizações reverem seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da sua equipe focando no brilho de seus pontos fortes e não utilizando energia em reparar seus 'erros/ deficiências' .

Ninguém lembra e nem quer saber se Beethoven era surdo , se Picasso instável , Caymmi preguiçoso , Kennedy egocêntrico, Elvis paranóico...

O que queremos é sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, resultado de seus talentos.

Cabe aos líderes de sua organização mudar o olhar sobre a equipe e voltar seus esforços em descobrir os pontos fortes de cada membro .

Fazer brilhar o talento de cada um em prol do sucesso de seu projeto.

Se seu gerente/coordenador , ainda está focado em 'melhorar as fraquezas de sua equipe corre o risco de ser aquele tipo de líder/ técnico, que barraria Garrincha por ter as pernas tortas, Albert Einstein por ter notas baixas na escola, Beethoven por ser surdo.

E na gestão dele o mundo teria perdido todos esses talentos.

Seguindo este raciocínio, caso pudessem mudar o curso natural, os rios seriam retos não haveria montanha, nem lagoas nem cavernas, nem homens nem mulheres, nem sexo, nem chefes nem subordinados . . . apenas peças.

Nunca me esqueço de quando o Zacarias dos Trapalhões morreu. Ao iniciar o programa seguinte, Dedé Santana entrou em cena e falou mais ou menos assim: "Estamos todos muito tristes com a 'partida' de nosso irmão Zacarias... e hoje, para substituí-lo, chamamos:... . Ninguém ... pois nosso Zaca é insubstituível"


Portanto nunca esqueça: Você é um talento único... com toda certeza ninguém te substituirá!

"Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo..., mas posso fazer alguma coisa. Por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso."

"No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é..., e outras..., que vão te odiar pelo mesmo motivo..., acostume-se a isso..., com muita paz de espírito. ..".

É bom para refletir e se valorizar!

Um bom dia..... Você é único, insubstituível !!!!!

Marido sortudo!!!

O marido chega para a esposa e pergunta:
- Querida, seja sincera... O que você faria se eu ganhasse na loteria?
E a esposa respondeu:
- Eu pegaria metade da grana e cairia fora.
Ai o marido pegou o bilhete:
- Taí, ganhei 12 reais na Lotofácil. Pega 6 reais e vaza... Agora!!

terça-feira, 9 de novembro de 2010

O FOFOQUEIRO - SALMO 41

Muitos pais têm filhos rebeldes, mas poucos têm filhos que odeiem tão intensamente seus pais quanto ABSALÃO odiou DAVI.

A raiz daquele ódio era profunda, remontando à brecha aberta pelo assassinato de Urias, o marido de Bate-Seba, a sangue frio.

Na consideração "bem aventurado o que acode o necessitado" (41:1), Davi não está se referindo ao financeiramente pobre, mas sim ao desamparado.

Agora veja que coisa interessante:

- Davi, o poderoso homem que enfrentou um leão e um urso em combates corpo a corpo,

- O destemido guerreiro que derrubou Golias com uma pedrada e lhe cortou a cabeça com a sua própria espada,

- Davi, o homem que elevou as 12 briguentas tribos Hebréias a condição de superpotência mundial,

Agora estava sozinho, triste, sem ajuda, consumido por uma doença fatal, a doença do PECADO, (41:3-4), que destruía a sua saúde, sua família, seus sonhos.

Embora o pecado de Davi tivesse sido perdoado, as conseqüências o perseguiam, como um caçador que persegue um animal ferido.

Por causa do seu pecado, Davi não condenou a conspiração de Absalão, nem mesmo o estupro cometido por Amom, contra sua meia irmã.

Absalão, o filho que comia á mesma mesa que Davi, juntou-se a um grupo crescente de pessoas que falavam mal de Davi (41:7). Esse bando era composto por quem?

Por fofoqueiros! O que é o FOFOQUEIRO?

- O fofoqueiro é um covarde de duas caras, que nunca olha de frente para a pessoa que ele está tentando assassinar através de suas palavras.

- O fofoqueiro é uma pessoa cruel, porque espalha mentiras e meias verdades, usando expressões como "o que dizem por ai é...."

- o fofoqueiro acusa sem qualquer comprovação ( 41:7,8),


 

Quem é o FOFOQUEIRO?

- Ele pode ser encontrado entre os círculos mais íntimos de amigos e familiares,

- Ele pode estar presente em qualquer circulo social,

- Até mesmo dentro de nossas próprias Igrejas,


 

O fofoqueiro destrói amizades, divide Igrejas e devasta lares.

Qualquer líder, seja de uma Igreja, uma empresa, uma comunidade, tem um ABSALÃO (fofoqueiro) em sua vida, presente no circulo mais intimo, fingindo ser leal.

Davi teve Absalão que morreu pendurado numa árvore,

Jesus teve Judas, que se enforcou,

Paulo teve Demas, que amou mais o mundo e abandonou o apostolo,

Deus teve Satanás, o traidor que estava tão próximo Dele.


 

CONCLUSÃO:

O método Bíblico para lidar com um FOFOQUEIRO é verificar se o que ele está dizendo é verdade ou não...

Se for verdade, então busque a restauração,

Se não for verdade, peça ao fofoqueiro que pare imediatamente,

Se você ouvir alguém espalhando fofocas, confronte-o,

Exija que ele encare a pessoa de quem está falando de frente,

Nunca devemos deixar fofoqueiros livres,

Os danos que eles podem causar são imensuráveis em termos de uma reputação destruída e corações despedaçados,

Não espalhe fofocas sobre outras pessoas, e também não ouça fofocas, pois o fofoqueiro não é só aquele que fala, mas também os que escutam e compartilham,

Ao contrario, proclame o poder salvador do sangue de Jesus, seu poder curador e esperança que Ele trás as nossas vidas.

VIVER OU JUNTAR DINHEIRO?

Por Max Gehringer

Há determinadas mensagens que, de tão interessante, não precisam nem sequer de comentários. Como esta que recebi recentemente.
Li em uma revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. Aprendi, por exemplo, que se tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, nos últimos quarenta anos, teria economizado 30mil reais. Se tivesse deixado de comer uma pizza por mês, 12 mil reais.

E assim por diante.

Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas. Para minha surpresa, descobri que hoje poderia estar milionário. Bastaria não ter tomado as caipirinhas que tomei, não ter feito muitas viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que comprei.

Principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis.
Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase 500 mil reais na minha conta bancária. É claro que não tenho este dinheiro.
Mas, se tivesse, sabe o que este dinheiro me permitiria fazer?
Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar em itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que quisesse e tomar cafezinhos à vontade.
Por isso, me sinto muito feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro por prazer e com prazer. E recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que fiz. Caso contrário, chegarão aos 61 anos com uma montanha de dinheiro, mas sem ter vivido a vida.

"Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim ele saberá o VALOR das coisas e não o seu PREÇO"

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Benefícios da Adversidade

Por Robert J. Tamasy

 Como está sua empresa? E sua carreira? Talvez você esteja lutando, mas com incertezas quanto ao futuro. Mesmo que sua situação seja ótima, é provável que tenha enfrentado grandes desafios. A adversidade tem se tornado companheira de todo mundo, de uma maneira ou de outra. Jamais esquecerei o encontro com um jovem empresário que enfrentou preconceito racial de inúmeras formas. Gerald poderia ter-se tornado amargo e rancoroso. Mas escolheu responder de modo positivo, adotando o lema que repetia freqüentemente:"Obrigado pela adversidade". Enfrentar adversidades o ajudou a desenvolver um caráter sólido. Fê-lo também se lembrar da própria fraqueza e de sua inabilidade para controlar as circunstâncias. Isso o levou a um relacionamento profundo e transformador com Deus. Lidando com realidades difíceis ou com o sucesso, Gerald descobriu uma verdade simples:"Com a força que Cristo me dá, posso enfrentar qualquer situação" (Filipenses 4.13).

 No mundo empresarial e profissional estamos acostumados a confiar numa variedade de recursos: bancos, equipe, metas, planos estratégicos, experiência, perícia, finanças pessoais. Vencer pelo próprio esforço nos envaidece. Mas por vezes nossos melhores esforços e recursos não são suficientes para vencer os obstáculos. A Bíblia oferece sugestões para encararmos a adversidade como amiga e não uma inimiga:

 Adversidade edifica a fé e encoraja a persistência. Assim como uma pessoa se exercita com pesos cada vez maiores para desenvolver força física, as dificuldades, no trabalho e na vida, servem para nos fortalecer."Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma" (Tiago 1.2-4).

 Adversidade fundamenta uma esperança confiável. Podemos ter esperança de crescimento nos negócios ou de melhora na economia, mas somos limitados para promover as mudanças que desejamos. Quando nossa esperança repousa na graça, amor e soberania de Deus, podemos experimentar paz e alegria. "Também nos gloriamos nas tribulações,porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança" (Romanos 5:3-5).

 Adversidade nos lembra quem realmente está no controle. No mundo empresarial visível e pragmático podemos facilmente ignorar o envolvimento e interesse de Deus nos acontecimentos. A Bíblia nos assegura que Ele é soberano – está no controle – e vai estabelecer Seus planos divinos."Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que O amam, dos que foram chamados de acordo com o Seu propósito" (Romanos 8.28).

 Próxima semana tem mais!


 

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

NÃO RETROCEDA!

"Vou pescar, disse-lhes Simão Pedro. E eles (cinco outros discípulos): "nós vamos com você". Eles foram e entraram no barco, mas naquela noite não pegaram nada..." João 21.3 (NVI)
Pedro estava frustrado por ter negado (pecado contra) Jesus e desacreditado de que Ele ressuscitaria.

Por causa desses terríveis sentimentos tomou uma decisão: "Vou pescar", ou seja, a partir de hoje não quero mais compromisso com o Senhor... voltarei a minhas antigas práticas.

Talvez você, hoje, assim como Pedro, encontre-se frustrado consigo mesmo por ter falhado no planejamento que fez ao declarar seu amor a Deus. Talvez esteja dizendo: "Eu estava indo tão bem... estava sendo um bom discípulo... o que aconteceu de errado?"

A natureza humana puxa você para fazer coisas erradas e o inimigo de nossas almas supervaloriza seus erros fazendo com que você pense que não há mais jeito para você, assim como não há para ele. Mas isso é uma mentira (ele é experto nisso). Enquanto você respirar, pode e deve se arrepender sinceramente, abandonar o erro e continuar.

Saiba que Deus está bem pertinho de você aguardando sua decisão de segui-Lo para terminar a obra que tem a fazer em e através de você.
Ele diz assim: "Filho, errou? puxa vida, não era pra ter feito isso, mas já que fez, você tem um advogado, fale com ele... arrependa-se, volte a me obedecer e CONTINUE!"

Assuma esta postura hoje!