sexta-feira, 21 de maio de 2010

Carta da Rede Globo ao Santos Futebol Clube

Prezados Senhores Diretores do Santos Futebol Clube,

Vimos mui respeitosamente repartir com V.Sª, um problema recente que atravessamos, no sentido de conseguir sua colaboração.

A nossa rede vem crescendo de modo que hoje atingimos praticamente 100% da população brasileira através de canais próprios no Brasil e no exterior e cerca de 100 emissoras afiliadas.

Sincronizar nossa programação sempre foi uma tarefa árdua e cada segundo vale ouro. Na verdade um segundo custa bem mais que um grama de ouro.

Geramos diretamente cerca de 10.000 empregos, além de outros 80.000 indiretos.

Mas as recentes atuações de sua equipe vêm trazendo sérios problemas a toda esta estrutura que criamos: um gol comum, contando com sua repetição, toma em nossa programação aproximadamente 23 segundos. Isso quando não é um lance polêmico e duvidoso que precisa ser repetido amiúde. Em nossa grade constam os seguintes noticiosos: Bom Dia Brasil, Bom Dia Rio (São Paulo, Brasília etc.), Jornal Regional 1ª Edição, Esporte Regional, Globo Esporte, Jornal Hoje, Jornal Regional 2ª Edição, Jornal Nacional e Jornal da Globo. Em um dia, portanto, 9 (nove) noticiosos. Em uma partida como ocorrida na última quarta-feira contra o Guarani de Campinas, com o placar de 8 a 1, ou seja, nove gols, com 23 segundos por gol multiplicado por 9 programas de notícias somamos o tempo de mais de 31 minutos, isso sem contar comentários e entrevistas de praxe. Para vocês terem idéia da gravidade da situação a novela das oito entrou com 22 minutos e 30 segundos de atraso.

Por força contratual temos também que transmitir os jogos da Libertadores da América. Sabemos que é hábito brasileiro ficar "zapeando" os canais. Mas pelo nosso controle de estatística de audiência, percebemos que não havia tempo no referido embate ocorrido na última quarta-feira na gloriosa Vila Belmiro para os telespectadores voltarem ao jogo que transmitíamos!


Além do que temos determinação das Secretarias de Seguranças do Estado do Rio de Janeiro e de São Paulo para transmitirmos jogos de respectivamente dois times dessas capitais, pois ficou comprovada a diminuição de diversos crimes quando de partidas em canais abertos.

Nossos departamentos de engenharia, marketing, telecomunicações e jornalismos vêm trabalhando conjuntamente com afinco para equacionar e resolver este problema tão grave que pode afetar desde a segurança da população até os empregos gerados por nossas empresas. Assim sendo, vimos solicitar que o Santos Futebol Clube, time de tantas glórias, limite-se a marcar no máximo 5 (cinco) gols por partida.

Certos de sua compreensão e apoio neste momento de crise.

Firmamo-nos.

Rede Globo de Televisão

Postar um comentário