segunda-feira, 25 de junho de 2012

“O Melhor Ainda Está Por Vir”

Por Fritz Klumpp

“Se quiser manter minha cabeça fora d’água, preciso ouvir tudo o  que o professor tem a dizer”.   Estes eram meus pensamentos enquanto eu me esforçava durante uma aula de engenharia que assisti décadas atrás na Academia Naval dos Estados Unidos.   Não me lembro de que aula era mas me lembro de passar por um momento difícil.   Olhando para o meu lado esquerdo, porém, notei meu amigo Paul que não se esforçava de modo algum.   Lá estava ele sentado...escrevendo música!   Foi então que percebi que ele estava operando num plano de desempenho muito diferente da maioria de nós. 

Paul Robert Kleindorfer, carinhosamente conhecido por seus colegas de Academia Naval por  “Moose” é um dos homens mais brilhantes que já conheci.   Depois de chegar à Academia vindo de North Judson, Indiana, USA., Moose distinguiu-se não apenas em assuntos acadêmicos, mas também no campo dos esportes, no coral e na banda.   Apesar de suas realizações, a maioria de nós lembra mais de sua boa índole e grande senso de humor. 

Depois da formatura, Moose assumiu um posto de comando no Exército.  Minha esposa, Ann, e eu apreciamos visitá-lo em Pensacola, Flórida, onde eu passava pelo Treinamento Naval Aéreo, enquanto ele passava para o treinamento das Forças Especiais na Base de Eglin da Força Aérea.   Aquela foi a última vez que vi Moose por muitos anos.

Hoje, Moose, ou mais apropriadamente Dr. Kleindorfer, é um destacado professor de pesquisa em tecnologia e gerenciamento de operações na INSEAD, Escola de Negócios para o Mundo.  Ele também é professor emérito de ciência da administração da Escola de Negócios Wharton na Universidade da Pensilvânia e ainda detém cargos na Carnegie Mellon University, no Instituto de Tecnologia de Massachusets,  e diversas outras universidades e institutos de pesquisa internacionais.  Publicou mais de 25 livros e inúmeros trabalhos de pesquisa. 

A última vez que vi Moose foi durante a 50ª reunião de nossa classe na Academia.   Foi então que ele me informou que tinha o mal de Lou Gehrig (esclerose lateral amiotrófica, ELA), uma doença das células nervosas do cérebro e medula espinhal que controlam os movimentos voluntários. 

Já que ele e a esposa vivem em Paris, França, não é fácil manter-me informado de seu estado de saúde, mas recentemente Moose nos atualizou a respeito de sua condição via email.   A terrível doença tem cobrado um preço terrível, a ponto dele depender agora de outras pessoas para suas necessidades mais básicas. 

Ele terminou seu email simplesmente dizendo:  “O melhor ainda está por vir”.  Não sei se algum dia já fiquei mais profundamente comovido ou inspirado do que  por essas palavras de esperança escritas por meu amigo Moose.   Somente um homem que conhece Deus pode falar de seu futuro com tanta certeza. 

A Bíblia afirma:  “E este é o testemunho:  Deus nos deu a vida eterna, e essa vida está em Seu Filho.  Quem tem o Filho, tem a vida;  quem não tem o Filho de Deus, não tem a vida”  (I João 5:11-12).  O que esta passagem me diz é que no plano eterno de Deus existem apenas dois tipos de pessoas e no final o que importa não são nossas realizações, mas sim nosso relacionamento com Cristo.  

Se você estivesse no lugar de Paul também poderia dizer:  “O melhor ainda está por vir”?  

Próxima semana tem mais!


Postar um comentário