quinta-feira, 30 de março de 2017

Cristo ou Barrabás? Oração ou Música de Sax?

Durante todo o tempo em que Daniel esteve na Babilônia, ele não foi proibido de orar, a despeito de ser minoria e escravo em uma nação idolatra e pagã... Por que? Porque quando teve oportunidade manifestou a glória do Seu Deus de maneira tremenda. Havia uma sentença de morte contra os magos e advinhos (escalão do qual ele fazia parte) e o mesmo chamou para si a responsabilidade declarando "o Deus a quem eu sirvo dará a revelação do sonho do Rei Nabucodonosor"...  Tal foi sua atuação, que creio que os magos que foram visitar o recém nascido Jesus Cristo era descendência desses que viram na vida de Daniel o poder do Deus vivo. Os próprios Nabucodonosor e Dario - reis históricos -  reconheceram a grandiosidade do Deus de Daniel. É bem verdade que sua postura lhe custou perseguição, mas o Deus a quem Daniel servia de contínuo o livrou. A  Secretária de Mulheres do Governo Michel Temer, Fátima Pelaes, faz reunião de oração e é criticada... George Israel, ex Kid Abelha toca "This Girl" em avião e é ovacionado... É claro que a sociedade, o mundo presente,  prefere o "pão e circo" à disciplina daquilo que é servir à Deus. Afinal, o mundo jaz no maligno, e esse mesmo maligno não tem interesse que as pessoas se reúnam para orar... a música do saxofone de Israel não incomodou nenhum dos famosos que estavam no avião da Gol - entres eles Isis Valverde, Josie Pessoa e Sérgio Malandro. Mas a oração de Fátima Pelaes repercurte, lebrando que o Estado é laico. O que falta ao Evangelho de hoje é respeito. E respeito somente se alcança quando deixamos de ser singulares para sermos plurais, ou seja, quando atingimos a coletividade. Mais uma vez, Jesus mostrou porque Ele é caminho, verdade e vida, pois ao declarar que deveríamos ser "sal da terra e luz do mundo", Ele nos deixou o mandamento de influenciarmos o mundo ao nosso redor com nossas ações. Foi assim que fez Daniel e por isso foi respeitado. Enquanto a Igreja manifestar um evangelho de quatro paredes, um evangelho para o próprio umbigo, continuará a ser tratada dessa maneira, desvalorizada. Nada contra a cultura e a boa música. Sou contra sim um evangelho que não traz transformação, que tem manifestações liturgicas e não testemunhais e que ainda fica se sentindo o coitadinho quando confrontado. Falta autoridade para não temer a cova dos leões. Falta autoridade para mostrar para o Rei quem é o verdadeiro Poderoso. Façamos a diferença. Sejamos a Igreja que seja respeitada pelo seu testemunho! (Para você entender melhor a postagem veja essas duas matérias http://ego.globo.com/famosos/noticia/2017/01/isis-valverde-e-famosos-se-divertem-em-voo-ao-som-de-george-israel.html e http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/287716/Secret%C3%A1ria-das-Mulheres-de-Temer-faz-culto-evang%C3%A9lico-em-gabinete.htm
Postar um comentário