terça-feira, 16 de outubro de 2012

Você Já Quis Parar de Pensar?

Minha esposa diz que não sei desligar minha mente. Respondo que, para começo de conversa, minha mente não é lá essas coisas e que preciso mantê-la em funcionamento. Mas na realidade ela está certa. Planejo, me preocupo e experimento estresse e angústia em demasia, por situações reais ou imaginárias. Provavelmente por falta de confiança em Deus e medo que, se eu não manipular e controlar as coisas, elas ficarão piores do que já são. 

Ao longo dos anos aprendi que há remédio prático para esse problema e tento aplicá-lo. Deixe-me começar com uma analogia: tomo café da manhã todos os dias. Meu irmão diz que é a refeição mais importante do dia, porque se você não estiver em casa a tempo para tomar o café da manhã, provavelmente ficará bem encrencado! Mas, fora essa brincadeira, sabemos que café da manhã é importante para fornecer energia para o dia. 

Contudo, há algo mais importante que café da manhã e nutrição física. Antes de nutrir o corpo, eu me nutro espiritualmente. Creio que não sou um corpo físico com espírito, mas um ente espiritual com corpo físico. Não importa o quanto minha agenda esteja lotada: sempre começo o dia lendo a Bíblia e o meu devocional preferido,  ajustando meu pensamento na direção correta.

Certa manhã fui impactado com a declaração de Jesus: “Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir" (Mateus 6.25).

Jesus resumiu o senso comum do cuidado com a vida de um discípulo chamando-o de incredulidade. O Espírito de Deus vai abrir caminho em nossa vida, como se perguntasse: "E agora, onde Eu fico neste relacionamento, nas férias que você planejou, nos novos livros que você quer ler?"  Ele sempre pressiona para que aprendamos a considerá-lo em primeiro lugar. Colocar outras coisas em primeiro lugar só traz confusão.

"Não se preocupem com a própria vida".  Não assuma pressão pela sua provisão. Preocupar-se, além de errado, é incredulidade. Preocupar-se significa que não cremos que Deus pode cuidar dos detalhes práticos de nossa vida, e o que nos preocupa não é outra coisa a não ser tais detalhes.

Lembra o que Jesus disse que sufocaria a Palavra que Ele coloca em nós? Será que é o diabo que faz isso? Não! São "os cuidados deste mundo" (Mateus 13.22). São nossas pequenas preocupações. Dizemos, "Não confio enquanto não posso ver", e é ai que começa a incredulidade. A cura para incredulidade é a obediência ao Espírito Santo.

Esta é a boa e prática sabedoria a ser usada ao confrontarmos os desafios do ambiente de trabalho. 

Por Ken Korkow

Próxima semana tem mais!


Postar um comentário