segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Quem é Nosso Verdadeiro Líder?

Se eu lhe perguntasse quem é seu líder, qual seria a sua resposta? Você talvez dissesse: “Eu me reporto ao CEO ou ao dono da empresa.” Outro diria: “Eu sou o CEO; não tenho líder.”  Ou ainda: “Eu me reporto à diretoria” , ou, “Meus clientes são meus chefes.”

Do ponto de vista funcional ou prático, estas respostas são válidas. Entretanto, se você é um executivo ou administrador cristão, seu verdadeiro líder é Jesus Cristo. A Bíblia diz que Ele é o dono da empresa e designou você como líder onde quer que você sirva.

Na Bíblia lemos:“Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados adoraram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor” (Josué 24.15). Isso determina a nossa prioridade.

A compreensão de quem realmente é nosso líder é vital para as decisões que tomamos no trabalho. Às vezes o líder humano pode pedir que façamos algo  conflitante com o que deseja nosso Líder celestial. Quando isso acontece, a quem devemos obedecer? Fomos designados por Deus, mas trabalhamos sob a autoridade terrena de um líder humano. 

Sendo assim, o que você diria para seu líder empresarial quando ele lhe pede fazer algo antiético, imoral, ilegal ou conflitante com os valores estabelecidos pela empresa? O mundo está cheio de empresas em que executivos cristãos simplesmente se submetem e fazem o que lhes mandam, provando que temem mais ao homem do que a Deus.

O que dizer de situações em que acreditamos que a empresa deveria tomar uma decisão específica? Por exemplo, ao admitir uma pessoa. Você já parou para orar a respeito e depois recomendar essa admissão ao seu líder temporal, e ele lhe diz: “Não, não queremos fazer isso”. Qual a sua resposta? 

Eu recomendaria que você buscasse novamente a Deus, orasse sobre isso outra vez em busca de confirmação sobre o que você pensa que Ele está lhe pedindo  fazer, voltasse ao seu líder e dizer-lhe: “Sei que já falamos sobre isso, mas pensei cuidadosamente a respeito e sinto que Deus quer que adotemos este curso de ação”. O que você faria se ele insistisse: “Não vamos fazer isso”?

Se a situação não for caso de vida ou morte, você pode acatar essa decisão superior, submetendo-se à autoridade de seu líder, mesmo crendo que não foi a decisão certa. Porém, em decisões críticas, você pode decidir que não quer mais trabalhar numa empresa que toma decisões baseadas em motivos errados. Muitas questões no trabalho não têm respostas óbvias, mas o ponto central permanece: quem é nosso verdadeiro líder?

Você está preparado para abrir mão de uma grande venda, de um emprego de prestígio e bem pago, se não puder acatar a decisão final do seu líder? Muitas vezes seguir a Deus requer grandes sacrifícios.

Sendo assim, precisamos ter certeza se estamos mais preocupados em ter o aplauso do homem ou o aplauso de Deus?   

Próxima semana tem mais!

Por Lane Kramer


Postar um comentário