segunda-feira, 29 de abril de 2013

Você Não Tem de Fazer Tudo

Tratores por todo o meio-oeste americano e em áreas agrícolas em todo o mundo estão rugindo, iniciando sua peregrinação anual pelos campos, semeando milho, trigo, soja, algodão e outras sementes. Dependendo do clima, sistemas de irrigação irão regar os campos semeados.

O que o fazendeiro faz em seguida? A não ser pela aplicação de fertilizante ou inseticida, seu trabalho é simplesmente olhar e esperar! É preciso que algo ocorra, algo que está além da habilidade dele de controlar ou dirigir. A semente precisa germinar e começar a se desenvolver. O fazendeiro, por mais que queira, não pode forçar o crescimento.

O apóstolo Paulo referiu-se a essa realidade em termos espirituais quando declarou: "Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem fez crescer” (1Coríntios 3.6). 

Para aqueles entre nós que vivem em economias predominantemente voltadas para serviço, onde temos de fazer acontecer, ninguém pensa seriamente em olhar e esperar. O mercado aclama quem obtém resultados. Estamos tão longe da economia agrícola de nossos antepassados, que embora possamos concordar com a lógica de Paulo, o impacto de suas palavras parece irremediavelmente ultrapassado. 

Enquanto corremos freneticamente de um lado para o outro, no meio profissional e empresarial moderno, nas nossas buscas pessoais ou procurando servir a outros, talvez seja o momento para que alguma verdade bíblica fundamental venha trazer sanidade e senso de humildade para nossa perspectiva sobre o que podemos e o que não podemos fazer. Os comentários de Paulo nessa passagem alargam esse entendimento: 

·         Deus não precisa de nós:“De modo que nem o que planta nem o que rega são alguma coisa” (1Coríntios 3.7). 

·         Deus, porém, escolhe nos usar e tem prazer em fazê-lo: “Afinal de contas, quem é Apolo? Quem é Paulo? Apenas servos...” (1Coríntios 3.5).

·         Deus concede oportunidades para que sirvamos a Ele e a outros, participando de Seus divinos propósitos. “...Conforme o ministério que o Senhor atribuiu a cada um” (1Coríntios 3.5).

Frequentemente por causa de nossa insegurança ou orgulho, queremos levar o crédito, receber o reconhecimento: “Eu fiz isso!”  Contudo, é vital permitirmos que essas verdades penetrem profundamente em nós, para podermos abandonar essa necessidade ou sentir que estamos no controle. Ao invés disso, aceitar humildemente o papel que nos foi dado e, com simplicidade, contribuir com o que Deus está fazendo no mundo que nos cerca. 

Havia um comercial de TV, no campeonato nacional de futebol, no qual um garoto corria pela casa fantasiado de Darth Vader, tentando usar “a força”. Apesar de todo seu esforço e determinação, nada acontecia com a secadora, o cachorro ou a boneca. Então, ele levantava os braços para o carro do pai na entrada da garagem. As luzes piscavam e o motor dava partida, para espanto do garoto e diversão do pai que estava observando da cozinha, e dava partida por controle remoto. 

Nesse comercial o pai interveio. De maneira muito mais elevada e profunda, nosso Pai celestial está íntima e complexamente envolvido em fazer com que as coisas aconteçam. A Bíblia torna isso claro. Jesus disse a Seus seguidores: “Sem Mim vocês não podem fazer coisa alguma” (João 15.5).

Mais tarde, Paulo declarou: “Tudo posso Naquele (Cristo) que me fortalece” (Filipenses 4.13). 

Próxima semana tem mais!

Por Rick Foster


Postar um comentário