quarta-feira, 9 de abril de 2014

Investindo na Vida de Outro

Dois executivos discutiam o alto custo para treinar e desenvolver pessoas. O Diretor Financeiro perguntou ao CEO: “Que acontece quando investimos em pessoas e elas vão embora?”  O CEO olhou para o CFO, fez uma pausa e respondeu: “O que acontece quando não investimos nas pessoas e elas ficam?”

Em muitas empresas alguns são como madeira morta: são responsáveis, se esforçam, recebem seu salário, mas não crescem nem se tornam importantes para a missão e os objetivos da organização. Podem existir outros fatores envolvidos, mas geralmente falhamos ao deixar de investir nelas.  

Vemos anúncios e comerciais sobre investimentos para incrementar ativos ou poupar para o futuro, especialmente para os que se aproximam da aposentadoria. Mas não existe investimento maior do que compartilhar tempo, energia e experiência com outra pessoa, não importando se o resultado será um sucesso. É melhor investir e perder algunas, do que não investir e ficar sobrecarregado com gente operando abaixo de seu potencial.

A verdadeira marca do líder não é o que ocorre enquanto ele exerce o controle, mas o que acontece depois que ele vai embora: o trabalho prossegue e progride ou fica estagnado e morre? Líder dedicado que investe e desenvolve pessoas, deixará um legado duradouro, quer elas permaneçam ou vão embora. 

Por outro lado, líderes deficientes deixam empreendimentos instáveis ou em fragmentos quando saem de cena, qual castelo de cartas. Seu legado, geralmente por egocentrismo, orgulho e falta de vontade de investir em outros, é o fracasso e a futilidade.  

Durante Seu tempo na Terra, Jesus Cristo investiu num punhado de discípulos, nenhum deles podendo ser chamado de “provável sucesso”. Contudo, ao partir, Ele lhes confiou Sua missão, que continua sendo abraçada por incontáveis milhões ainda hoje. 

Sua instrução foi simples:“Portanto, vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam Meus seguidores... Ensinando-os a obedecer a tudo o que tenho ordenado a vocês” (Mateus 28.19-20). E Paulo, beneficiário do investimento feito na vida dele por Barnabé, instruiu ao jovem Timóteo:“Tome os ensinamentos que você me ouviu dar na presença de muitas testemunhas e entregue-os a homens de confiança, que sejam capazes de ensinar outros” (2Timóteo 2.2).

Talvez alguém tenha investido em você. Quer lideremos uma grande empresa, ou tenhamos nosso próprio negócio, como gerentes ou empregado, cada um de nós tem significativa e exclusiva esfera de influência.

Em quem você está investindo hoje? E se você não está investindo em alguém, quem irá fazer isso?

Próxima semana tem mais!

Por Robert Tamasy

Postar um comentário