terça-feira, 15 de abril de 2014

Uma Vida Que Vale a Pena

A língua inglesa usa uma frase – “to die for” – significando alguma coisa muito boa, fora do comum (em português diríamos que é algo pelo qual "vale a pena morrer" - nota da tradutora). Por exemplo, dizer “to die for”  a carne de um restaurante, significa que ela é tão boa que "vale a pena morrer por ela".

Você já experimentou alguma coisa da qual poderia dizer que vale morrer por ela? Talvez uma comida, o destino de uma viagem ou uma experiência que tenha ultrapassado suas expectativas. 

E viver uma vida que vale a pena? Para alguns pode significar imersão em passatempos favoritos, como pescar, jogar golfe, ouvir música ou viajar. Outros podem pensar numa vida dedicada à busca de riquezas, sucesso e realização profissional. Cada uma delas pode oferecer nível grande de satisfação. Mas somente com elas, podemos acabar um dia nos perguntando como no refrão de uma antiga canção: “É só isso?”

Viver uma vida pela qual “vale a pena” é viver intencionalmente e com propósito, com inabalável senso de missão. Uma vida em que a pessoa claramente compreende quem é, porque está aqui e se sente impelida a cumprir esse propósito. Em última instância, uma vida que influencie positivamente e de forma transformadora muitas outras. Quando uma vida assim termina na Terra deixa para trás um legado duradouro. 

Ao longa da minha vida tive o privilégio de conhecer pessoas assim. Recentemente meu amigo de longa data, David Stoddard, fundador da Leaders Legacy, da qual fui vice-presidente nos últimos 12 anos, foi para o Lar, para estar junto com Deus. Dave foi uma dessas pessoas raras, maiores que a vida. 

Ele tinha diversos traços distintivos — um sempre presente sorriso, humildade genuína, grande bondade, generosidade, amor pelas pessoas, dedicação à família e profunda fé em Jesus Cristo. O versículo, “Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro”, em  Filipenses 1.21, descreve com exatidão a vida de Dave e sua inesperada partida aos 60 anos de idade. 

Quando o conheci, 30 anos atrás, ele era um ativo homem de vendas de uma empresa de suprimentos médicos, na rota para se tornar seu maior executivo. Era um grande trabalho, mas ele se sentiu vocacionado para fazer mais do que vender estetoscópios e equipamentos cirúrgicos.

Assim, ele se demitiu e assumiu um posto na equipe do CBMC. Supervisionou a produção de uma série de treinamento intitulada, “Living Proof” (Prova Viva). Mais tarde, seguindo sua visão de exercer um impacto por Cristo em empresas e corporações de qualquer porte, Dave iniciou a "Leaders Legacy". Nos 14 anos que presidiu a organização, milhares de vidas foram tocadas, graças à sua abordagem única de mentor, coach, desenvolvimento de liderança e formação de equipe. 

Trabalhamos juntos no livro, The Heart of Mentoring (A Essência do Mentoreado). Seu subtítulo descreve a missão que ele seguia: desenvolver pessoas em seu total potencial.  Isso compreendia não apenas treinamento profissional e coaching pessoal, mas também ajudar as pessoas a descobrir como relacionar verdades espirituais a todos os aspectos de suas vidas. No funeral de Dave, dezenas de pessoas falaram sobre o impacto transformador que ele teve em suas vidas. Ele teria sido rápido em ressaltar que havia sido Deus, e não ele, que operara a mudança. 

A chave para Dave, nos negócios e em investir na vida de outras pessoas, era a total confiança e dependência de Deus. Ele compreendeu que "sem Cristo nada podemos fazer" (João 15:5), mas que podemos "todas as coisas em Cristo que nos fortalece" (Filipenses 4.13). 

Você está vivendo uma vida assim, pela qual vale a pena morrer? 

Próxima semana tem mais!

Por Robert Tamasy


Postar um comentário