quarta-feira, 2 de abril de 2014

Usando Nossos Dons e Habilidades

Qual é o seu ponto forte no mercado de trabalho? Em outras palavras, como você descreveria a mistura de talentos, habilidades e experiência que possui e coloca a serviço da empresa ou organização serve?

Ás vezes nos referimos a eles como “dons” e comentamos que alguém é especialmente “dotado” em áreas como liderança, administração, marketing, finanças, investimentos, formação de equipes, comunicação e outras necessárias para o sucesso no trabalho. 

Geralmente vemos essas características em termos do sucesso na conquista de um bom salário, de uma promoção, de reconhecimento profissional ou outros objetivos pessoais. Mas você já pensou que talvez seus "dons" não sejam primariamente destinados ao seu próprio benefício, mas sim de outras pessoas? 

Como escritor e editor, aprecio minha destreza em trabalhar com palavras para comunicar ideias, conceitos e princípios que descobri serem importantes e significativos. Ganho uma medida de prazer e satisfação com o trabalho que faço. Mas em última instância, se o que tenho para comunicar através da palavra escrita não for compartilhado com outras pessoas, ou elas não encontrarem valor nas minhas palavras, estarei desperdiçando meu tempo. 

Anos atrás ouvi um homem recitar um poema que fez muito sentido para mim: “Um sino não é um sino se não for tocado; uma canção não é canção se não for entoada; o amor não chega ao coração para ali permanecer, porque amor não é amor se não for dado”. De modo semelhante poderíamos dizer que o dom que possuímos não é verdadeiramente dom até que seja usado em benefício de outro. Podemos obter resultados no uso de nossos dons, mas nós os possuímos para servir aos outros. 

Na Bíblia encontramos uma explanação sobre “dons espirituais”, enfatizando que cada um é concedido “para o bem de todos” (1Coríntios 12.7). Ao comparar os dons com partes do corpo humano, ela observa que não foram projetados para funcionarem independentemente, mas em harmonia com os demais órgãos: “Se o corpo todo fosse olho, como poderíamos ouvir? E, se o corpo todo fosse ouvido, como poderíamos cheirar? Assim Deus colocou cada parte diferente do corpo conforme ele quis... De fato, existem muitas partes, mas um só corpo” (1Coríntios 12.17, 20). 

Somos por vezes tentados a assumir um orgulho especial por nossos talentos e habilidades. Porem, não podemos jamais esquecer que nosso sucesso depende do apoio de outras pessoas com capacitações diferentes. Somos instados a apreciar as contribuições dos outros, assim como esperamos que façam o mesmo para conosco.

“Foi assim que Deus fez o corpo... Desse modo não existe divisão no corpo, mas todas as suas partes têm o mesmo interesse umas pelas outras” (1Coríntios 12.24-25).

Próxima semana tem mais!

Por Robert Tamasy

Postar um comentário