quarta-feira, 11 de março de 2015

A boa solidão…

“Ficando ele (Jacó) só; e lutava com ele um homem, até ao romper do dia." - Gn 32.24

Ficou só! Que sensações variadas essas palavras trazem a cada um de nós. A alguns elas falam de solidão e tristeza, a outros, de repouso e silêncio. Ficar a sós sem Deus seria terrível demais, mas ficar a sós com Deus é um antegozo do céu. Se os crentes passassem mais tempo a sós com ele, teríamos outra vez gigantes na fé.

O Mestre colocou diante de nós um exemplo. Observemos quantas vezes ele ficava a sós com Deus; havia uma razão muito forte para ele nos dar este mandamento: Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás."

Os maiores milagres de Elias e Eliseu tiveram lugar quando eles estavam a sós com Deus. Foi a sós com Deus que Jacó tornou-se um príncipe, e é ali também que nós podemos tornar-nos príncipes - homens (e mulheres!) portentosos (Zc 3.8).

Josué estava só quando o Senhor veio a ele (Js 1.1).

Gideão e Jefté estavam sós quando comissionados para salvar Israel (Jz 6.11 e 11.29).

Moisés estava a sós junto à sarça no deserto (Êx 3.1-50).

Cornélio estava orando a sós quando o anjo lhe veio (At 10.2). Pedro estava a sós no terraço alto, quando recebeu instruções para ir aos gentios.

João Batista estava só no deserto (Lc 1.80); e João, o amado, estava só, em Patmos, quando chegou mais perto de Deus (Ap 1.9).

Ansiemos por estar a sós com Deus. Se negligenciarmos isto, não só nos privaremos de bênçãos, como aos outros também, pois que, quando somos abençoados, levamos bênçãos aos outros. Estar a sós com Deus pode significar ter menos obras a apresentar, mas significará mais profundidade e poder; outro resultado será: "A ninguém viram senão unicamente a Jesus."

Nunca é demais salientarmos a importância de se estar a sós com Deus.

Postar um comentário