quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Não Permita Que o Medo o Incapacite

Bill Moore, que foi meu vizinho durante minha infância, morreu recentemente aos 97 anos. Bill viveu do outro lado da rua durante todo o tempo enquanto eu crescia. Por vários anos ele alugou terras de minha família para servirem de pasto às suas vacas leiteiras. 

Sua morte me fez recordar do dia quando eu tinha 6 ou 7 anos de idade, e com meu primo Bobby, decidimos tomar um atalho pelo pasto ao ir para nosso ponto favorito de pesca. Bill tinha um enorme e velho touro intratável, com forte instinto protetor do seu pasto. Quando o touro nos viu cruzando “suas terras”, aparentemente não gostou da ideia e decidiu nos expulsar.

Bobby e eu corremos o mais rápido que pudemos e mergulhamos por baixo da cerca de arame farpado rumo à segurança. Não me recordo de ter olhado para trás para ver o quão perto o touro chegara de nós, ou se o som do seu resfolego e de suas patas no solo nos mantiveram correndo. Mas sei que estávamos mortos de medo. Talvez eu tivesse assistido desenhos animados demais, mostrando touros agressivos soltando fumaça pelas narinas, mas o medo, naquele caso, um medo saudável, nos impulsionou para fora do pasto. 

O medo pode ser um grande motivador, levando-nos a evitar ou a fugir do perigo, e encorajando-nos a buscar ativamente por segurança. Psicólogos falam sobre  “instinto de luta ou fuga” em momentos perigosos, o que é muito útil. Ao mesmo tempo, o medo pode ser debilitador, impedindo-nos de seguir nossos sonhos, tomar a iniciativa de nos demitirmos de um emprego ruim ou encontrar motivação para tentar algo diferente no trabalho ou na vida diária.

Recentemente vi uma placa dizendo que vencer o medo do fracasso é o início da criatividade. Toda grande realização tem sido precedida, num certo grau, por vitória sobre o medo. Medo de fracasso, do ridículo, de descobrir que o desafio é muito maior do que prevíamos, de nos aventurarmos além da nossa zona de conforto. Medo de realizar o que “ninguém jamais fez antes”!

A Bíblia fala muito sobre medo, reconhecendo que ele é uma das mais básicas e comuns das emoções. Ela fala que grande parte do medo é desnecessária se depositarmos nossa confiança em Deus e em Seus recursos. Por exemplo:

Certeza de que não estamos sozinhos. Um dos motivos para nos sentirmos temerosos é o sentimento de isolamento, de que estamos enfrentando desafios e obstáculos totalmente sós. Deus diz que isto não é verdade: “Por isso, não tema, pois estou com você;  não tenha medo, pois sou o seu Deus” (Isaías 41:10).

Certeza do socorro de Deus. Vencido pelo medo, para onde você se volta? Deus diz para nos voltarmos para Ele. “Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a Minha mão direita vitoriosa” (Isaías 41:10).

Certeza do amor e cuidado de Deus. Quando confiamos no amor e cuidado infalíveis de Deus, podemos enfrentar nossos medos cara a cara. “No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor” (I João 4.18).

Quer sejam nossos medos reais ou imaginários, quer o touro esteja blefando ou realmente nos perseguindo, precisamos avaliar a situação com exatidão, encarar e vencer nossos temores e seguir nossos sonhos. Se Deus nos deu um sonho ou desejo ambicioso, podemos confiar Nele para nos guiar e providenciar os recursos para sua realização.

Por Jim Mathis

Próxima semana tem mais!


Postar um comentário