segunda-feira, 4 de março de 2013

Ideias Brilhantes – Fontes Improváveis

De acordo com o Wall Street Journal, respeitado periódico de negócios, as caixas de sugestões das empresas vêm sendo substituídas por sistemas online para a apresentação de ideias.  Esses sistemas não apenas recebem ideias sobre mudanças e novas iniciativas como também dão aos empregados  oportunidade de comentar e votar em sugestões feitas por outros membros do quadro de funcionários.

A PricewaterhouseCoopers lançou um website de gerenciamento de ideias que gerou 3.300 novas ideias.  Embora a empresa de consultoria tenha implementado apenas 140 daquelas ideias até o presente, essas que foram usadas pouparam centenas de milhares de dólares para a companhia. 

A ironia é que geralmente os executivos chamam pessoas de fora para avaliar as práticas e sistemas  de suas empresas, além de uma variedade de fatores que afetam rendas e despesas, mas deixam de considerar o pessoal interno, que pode ter uma percepção maior das questões.   Os empregados geralmente conhecem os produtos e processos da companhia melhor que consultores externos, já que trabalham neles todos os dias, embora muitas empresas nunca peçam que seus funcionários façam sugestões. 

Anos atrás industriais implementaram os “círculos de qualidade”, nos quais os empregados mais afetados pelas decisões de produção  poderiam opinar sobre ações adotadas e apresentar suas conclusões sobre os resultados alcançados.  Em muitos casos os grupos de consulta compostos pelos empregados contribuíram significativamente para uma maior eficiência e economia. 

Pode não ser necessária a criação de círculos de qualidade para a sua empresa, e sim alguma outra maneira intencional de solicitar e responder ao quadro funcional sobre estratégias importantes de organização e gerenciamento, o que pode gerar bons resultados.   Há um ditado que diz que às vezes fica difícil distinguir a floresta das árvores,  mas seria sábio periodicamente consultar aqueles mais familiarizados com as “árvores”. 

A Bíblia tem muito a dizer sobre esta abordagem de negócios. 

Não permita que o orgulho o impeça de consultar outras pessoas.  Alguns executivos parecem adotar uma postura de quem deve ter todas as respostas porque ocupam uma posição de liderança.  Não existe nenhuma regra que diga isso e líderes sábios estimulam os membros de seu quadro funcional a apresentarem sua visão.  Provérbios 12:15 ensina:  “O tolo pensa que sempre está certo, mas os sábios aceitam conselhos”. 

Seja receptivo à perspectiva de uma variedade de fontes confiáveis.  Existem diversas maneiras de pedir conselhos valiosos no tocante a planos e decisões importantes de negócios, como sistemas de apresentação de ideias de empregados e reuniões de equipes.  Tirando o máximo proveito de pessoas e ideias disponíveis, a possibilidade de sucesso é multiplicada.  “Sem conselhos os planos fracassam, mas com muitos conselheiros há sucesso”  (Provérbios 15:22).  

Valorize os recursos disponíveis dentro de sua própria equipe.  Geralmente se dá grande peso à opinião de consultores pela presunção de que eles têm uma perspectiva objetiva.  Entretanto, a boa administração exige a utilização apropriada do pessoal que temos dentro de nossas empresas, inclusive envolvendo sua percepção em decisões e práticas importantes.   “...Jesus disse:  Um profeta é respeitado em toda parte, menos na sua terra e na sua casa”  (Mateus 13:57). 

Não subestime a sabedoria do seu pessoal.   Se você tornar o processo fácil e aberto para todos, eles podem ter ideias que lhe poupem milhões. 

Por Rick Boxx

Próxima semana tem mais!


Postar um comentário